Coronavírus » Mundo

Após negar vacina, músico britânico morre de Covid-19: 'É a sensação mais assustadora do mundo'

Aos 40 anos, Marcus Birks assumia um posicionamento contrário aos imunizantes, além de negar a gravidade da doença

Redação Publicado em 30/08/2021, às 15h30

Fotografia do artista Marcus Birks
Fotografia do artista Marcus Birks - Divulgação/ Instagram/ @marcusbirks

Desde o início da pandemia, o músico Marcus Birks, de 40 anos, mostrou-se bastante cético em relação aos intensos efeitos da Covid-19. Na última sexta-feira, 27, no entanto, o britânico faleceu em decorrência da doença, após contrair fortes sintomas.

Apesar de seu discurso antivacina, Birks mudou de ideia logo que foi internado no hospital Royal Stoke University Hospital, em Staffordshire, na Inglaterra. Em entrevista à BBC, por exemplo, o músico disse que estava “chocado” com os efeitos da doença.

Isso porque, de acordo com o jornal The Daily Mail, Birks pensava estar imune aos sintomas do Coronavírus por manter uma intensa rotina de treinos. “Quando você sente que não consegue respirar o suficiente, é a sensação mais assustadora do mundo”, disse.

Uma vez internado e dificuldades para respirar, voltou atrás e passou a defender a vacinação — apesar de não ter sido vacinado. “A primeira coisa que direi a toda a minha família é [para irem] tomar a vacina”, narrou o músico, logo que foi internado na UTI.

Casada com Birks há dez anos, a artista Lis usou as redes sociais do casal para lamentar a morte do companheiro, com quem ainda compunha o duo The Chameleonz. “A dor que sinto ao escrever isto é insuportável, meu coração foi arrancado, minha alma e mundo completamente e totalmente destruídos”, escreveu a mulher, na publicação.

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Marcus Birks (@marcusbirks)