Coronavírus » Brasil

Após veterinária tomar três doses de vacina, prefeitura deve acionar o MP

Com o objetivo de "viajar para onde quiser", a mulher foi imunizada pela CoronaVac e, em seguida, pelo medicamento da Janssen

Pamela Malva Publicado em 03/07/2021, às 11h00

Imagem meramente ilustrativa de frascos de vacina
Imagem meramente ilustrativa de frascos de vacina - Getty Images

Em março deste ano, a veterinária Jussara Sonner recebeu a segunda dose da CoronaVac, completando sua imunização contra o Coronavírus. Não satisfeita, contudo, a moradora de Arujá, na Grande São Paulo, afirmou ter furado fila para conseguir mais uma vacina, dessa vez de dose única, da Janssen, segundo o UOL.

A veterinária documentou todo o processo em suas redes sociais, publicando imagens das carteirinhas de vacinação que recebeu. No Facebook, por exemplo, ela explicou que não estava se sentindo protegida pela CoronaVac e, por isso, decidiu tomar outra dose.

De acordo com os cartões publicados pela própria veterinária, portanto, ficou claro que Jussara foi vacinada com as duas doses da CoronaVac em 9 de fevereiro e 2 de março, em Guarulhos, recebendo a terceira dose, agora da Janssen, em 30 de junho.

Em suas publicações, a mulher ainda ironizou o sistema de saúde, já que a UBS Uirapuru, onde ela tomou o terceiro medicamento, não teria computadores para verificar seu histórico de vacinação. “Fui em um bairro meio que de favela em Guarulhos, onde não havia computadores para verificação online. Uma sorte! Anotaram meus dados numa folha timbrada. Quando cair no sistema será tarde demais”, escreveu.

"Sei que nenhuma vacina é totalmente segura, pois não houve tempo para a realização dos testes. Mas como no início do ano tomei a 'vachina' estava bastante incomodada com isso”, escreveu Jussara, em um dos posts. “Esperei o tempo necessário, três meses, e hoje consegui tomar a da Janssen. Agora me sinto mais protegida, é dose única e estou liberada para viajar para onde eu quiser. Agora sim que viro jacaré.”

Imagem meramente ilustrativa de pessoa sendo vacinada / Crédito: Divulgação/ Pixabay/ KitzD66

 

Investigações

Frente às afirmações feitas pela veterinária, a Prefeitura de Guarulhos afirmou, em nota oficial, que o prefeito Gustavo Henric Costa determinou que o caso deverá ser enviado ao Ministério Público Estadual, para que seja investigado, ainda de acordo com o UOL.

Para o prefeito, as atitudes de Jussara conferem um "comportamento inaceitável, criminoso e de má-fé com a sociedade, pois tira a vez de alguém se vacinar". Ainda mais, o político deixou claro que a veterinária pode ter colocado a própria vida em risco, já que “não há como saber se a dose excessiva é segura".

"A Prefeitura dispõe de muitos esforços para conseguir vacinar com a quantidade de doses que recebe, como é seu dever”, afirmou o prefeito, em suas redes sociais. “Nós contamos com a boa-fé das pessoas, principalmente em uma pandemia.”