Coronavírus » Pandemia

Brasileiro morto pelo coronavírus não estava na lista dos casos do Ministério da Saúde

O falecido tinha 62 anos quando passou mal no dia 10 de março e foi internado na UTI; infectologista nega falta de transparência do governo

Gabriel Fagundes Publicado em 18/03/2020, às 11h45 - Atualizado às 12h00

A ilustração do coronavírus que vitimou o senhor de 62 anos na terça-feira, dia 17
A ilustração do coronavírus que vitimou o senhor de 62 anos na terça-feira, dia 17 - Pixabay

Dentre os 164 casos de pessoas infectadas pelo coronavírus no estado de São Paulo, um veio a óbito ontem, terça-feira, dia 17, no hospital Santa Maggiore, do grupo Prevent Senior. Ele tinha 62 anos e apresentava doenças crônicas. Seu histórico se enquadrava no perfil dos mais propensos a serem vítimas pela enfermidade.

Segundo o infectologista David Uip, “esse óbito se encaixa naquilo que já sabíamos um homem com mais de 60 anos e com comorbidades". Embora isso tenha sido dito, o falecido não estava presente na lista dos doentes suspeitos do Ministério da Saúde, o que agrava ainda mais a situação. Por isso, o médico em coletiva de imprensa rejeitou a hipótese que rondava da falta de transparência do governo na divulgação dos números de infectados.

Uip pontua: "Nós fomos informados hoje inicialmente e o diagnóstico, segundo informações que nós recebemos, ocorreu ontem e não deve constar nesse número de diagnósticos do estado." Isso porque na prática há um retardo entre a confirmação dada pelos laboratórios até a notificação recebida pelo Ministério da Saúde.

Por conta desse fator, o secretário de Saúde, José Henrique Germann, elucida que, devido ao óbito ser decorrente de uma transmissão comunitária, só fortifica a obrigatoriedade de manter as políticas de prevenção. Principalmente porque há outras quatro pessoas que faleceram e também estão sendo investigadas.