Coronavírus » Pandemia

Cessar-fogos: última guerrilha colombiana ativa anuncia trégua devido ao Coronavírus

Em meio à pandemia do Covid-19, Exército de Libertação Nacional afirma suspensão das atividades durante um mês

Pamela Malva Publicado em 01/04/2020, às 18h00

Imagem meramente ilustrativa de guerrilheiros da ELN
Imagem meramente ilustrativa de guerrilheiros da ELN - Divulgação

Em esforços contra uma maior disseminação do Coronavírus, o Exército de Libertação Nacional (ELN) anunciou um cessar-fogo temporário na Colômbia. A decisão foi noticiada através de um comunicado, publicado na segunda-feira, 30.

Com cerca de 2.300 membros, a ELN — que é a última guerrilha colombiana em atividade — afirmou que irá suspender suas ações militares durante todo o mês de abril. Para o grupo, a medida é um “gesto humanitário com o povo” do país.

Ainda no comunicado, entretanto, a guerrilha deixou claro que não ficará em silêncio caso gangues de narcotráfico entrem em atividade. Há anos, a ELN disputa o controle de diversos territórios com o grupo criminoso.

Segundo o grupo guerrilheiro, um apelo foi feito ao governo de Iván Duque “para que [ele] ordene o quartel em suas tropas”. A ELN ainda pediu que o presidente colombiano entre em um acordo com Havana sobre um "cessar-fogo bilateral e temporário".

Atualmente, a Colômbia já registrou pouco mais de mil casos ativos de Coronavírus. No país, 39 pessoas se recuperaram, enquanto 17 foram vítimas da doença. O Brasil, por sua vez, já documentou mais de 5,5 mil casos de Covid-19, sendo que, destes, 127 pessoas se curaram e 206 morreram.