Coronavírus » Estados Unidos

Cidade mais afetada nos EUA: NY presta homenagem as mais de 30 mil vítimas por Covid-19

"Perdemos mais nova-iorquinos do que na Segunda Guerra Mundial, na Guerra do Vietnã, no furacão Sandy e no 11 de Setembro juntos”, disse o prefeito Bill de Blasio

Fabio Previdelli Publicado em 15/03/2021, às 11h30

Homenagem feita na Ponte do Brooklyn
Homenagem feita na Ponte do Brooklyn - Getty Images

Na noite de ontem, 14, a cidade de Nova York homenageou todas às 30.258 vítimas do novo coronavírus. A cidade americana carrega o recorde de maior número de mortes por Covid-19 no país.  

"Perdemos mais nova-iorquinos do que na Segunda Guerra Mundial, na Guerra do Vietnã, no furacão Sandy e no 11 de Setembro juntos. Cada família foi afetada e, para tantas famílias, há dor, uma dor na carne viva", disse Bill de Blasio, prefeito de NY, em cerimônia que foi transmitida pela internet.  

Após pedir um minuto de silêncio em memória das vítimas, de Blasio fez uma menção aos 'heróis da saúde' que 'salvaram vidas', destacando que para isso, em muitas ocasiões, eles sacrificaram as suas próprias. O prefeito também pediu para que a população relembre dos bons tempos da cidade.  

Em espanhol, Bill ainda citou o escritor colombiano Gabriel García Márquez, vencedor do Nobel de Literatura, ao dizer: “Aconteça o que acontecer, ninguém pode tirar as danças que você teve”. Um terço dos imigrantes de Nova York são de origem latina. “Ombros a ombro, ajudando-nos uns aos outros, vamos retomar nossa cidade”, prometeu de Blasio

A homenagem também contou com um breve recital da Filarmônica de Nova York. Além disso, diversas velas foram acesas na Ponte do Brooklyn, um marco da cidade. Fotos em preto e branco foram projetadas na ponte. Líderes religiosos e poetas também discursaram.  

Coronavírus no Brasil e no Mundo

De acordo com as últimas informações divulgadas pelos órgãos de saúde, atualmente, o Brasil registra 11.483.370 de pessoas infectadas, e as mortes em decorrência da doença já chegam em 278.229 no país. 

Em 1º de dezembro de 2019, o primeiro paciente apresentava sintomas do novo coronavírus em Wuhan, epicentro da doença na China, apontou um estudo publicado na revista científica The Lancet em fevereiro deste ano. 

De lá pra cá, a doença já infectou 116.849.611 milhões de pessoas ao redor do mundo, totalizando mais de 2,5 milhões de mortes, sendo mais de 278.229 mil delas apenas no Brasil.