Coronavírus » Pandemia

Coronavírus: assintomática, mulher infecta 71 pessoas após usar elevador, afirma estudo

"Nossos resultados ilustram como uma única infecção assintomática por Sars-CoV-2 pode resultar na transmissão generalizada de uma comunidade", disseram os pesquisadores

Fabio Previdelli Publicado em 14/07/2020, às 08h00

Imagem ilustrativa de um teste positivo para coronavírus
Imagem ilustrativa de um teste positivo para coronavírus - Pixabay

Apesar das recomendações de isolamento social causarem controvérsias entre as pessoas, é um fato que a medida contribui para que o número de pessoas infectadas não transmitam o vírus para outras pessoas, que por sua vez contaminariam um número maior e assim sucessivamente.

Apesar disso não ser visível e, em muitas ocasiões, resulte em dúvidas em parte da população, um caso ocorrido recentemente na China ajuda a explicar esse ciclo de infecções entre pessoas que contraíram o coronavírus. De acordo com o The Independent, uma mulher infectou — inconscientemente — ao menos 71 outras pessoas depois de ter usado o elevador do prédio onde reside, na província de Heilongjiang.

Segundo uma pesquisa divulgada no jornal Emerging Infectious Diseases, realizada por membros do Centro Chinês para Controle e Prevenção de Doenças, tudo começou depois que essa mulher voltou ao país, em 19 de março, depois de ter feito uma viagem aos Estados Unidos. Nessa altura, a região já entrava no seu oitavo dia sem registrar um caso de infecção pela Covid-19.

No entanto, em um primeiro momento, ela foi testada e o exame apresentou um resultado negativo para o vírus. Assim, apesar dela ter se recolhido em casa, acabou não tomando as medidas de proteção corretamente ao usar um elevador e contaminou o local fechado.

Com isso, em algum momento daquele dia, um de seus vizinhos acabou usando o mesmo elevador e acabou se contaminando também. Dias depois, em 29 de março, esse morador recebeu sua mãe e o namorado dela em sua casa e, por também ser assintomático, acabou infectando os dois sem saber.

Posteriormente, o casal participou de uma festa com um grupo de amigos e acabou infectando outras pessoas, sendo que uma delas acabou sofrendo um derrame no dia 2 de abril e acabou sendo encaminhada para o hospital.

No entanto, como nesse ponto não havia uma conexão óbvia entre ele e a mulher que retornou à China, o paciente acabou não sendo testado. Já no dia 6 de abril, ele acabou sendo encaminhado para outro hospital e lá acabou realizando um exame que testou positivo para o Covid-19.

Nesse ponto, o rapaz que teve o AVC já havia infectado mais de 28 pessoas no primeiro hospital — incluindo cinco enfermeiras e um médico — e, pelo menos, outras 20 neste segundo centro médico. Isso sem contar seus dois filhos que o acompanharam durante esses dias.

Dias depois, o namorado da mãe do vizinho também começou apresentar sintomas e testou positivo para a doença. Foi só então que os investigadores do Centro descobriram que um residente do quarteirão havia voltado de viagem recentemente.

Ao encontrar essa primeira mulher, desta vez, o teste apontou que ela tinha anticorpos do vírus no organismo — o que sugere que a pessoa contraiu a doença, mas não apresentou sintomas dela.

“Acreditamos que [a viajante] era portadora assintomática e que [o vizinho do andar de baixo] foi infectado pelo contato com superfícies no elevador do prédio onde ambos moravam”, explicaram os pesquisadores do Centro Chinês de Controle e Prevenção de Doenças. "Nossos resultados ilustram como uma única infecção assintomática por Sars-CoV-2 pode resultar na transmissão generalizada de uma comunidade".