Coronavírus » Pandemia

Coronavírus: sem turismo, elefantes passam fome na Tailândia

Os valores para cuidar dos mamíferos mantidos em cativeiro no país são, em grande parte, dos turistas

Paola Churchill Publicado em 01/04/2020, às 12h31

Elefantes na natureza
Elefantes na natureza - Pixabay

Cerca de mil elefantes em cativeiro na Tailândia estão passando fome. Devido a epidemia do novo coronavírus, o turismo do país - que representa grande parte da economia tailandesa - acabou sendo afetado.

Em entrevista à BBC, a fundadora da Save Elephant Foundantion implorou por ajuda financeira para salvar os animais "Se não houver apoio para mantê-los em segurança, esses elefantes, alguns dos quais estão grávidas, morrerão de fome ou poderão ser colocados nas ruas para implorar".

Os mamíferos são, em grande parte, mantidos pelos turistas que visitam o santuário, mas esses bichos não são baratos de se manter. Eles podem ingerir mais de 300 kg de comida diariamente, o que faz com que seja difícil manter a dieta em dia sem recursos financeiros.

E para piorar a situação, o país está no meio de sua estação de seca, o que dificulta a busca por alimentos. A gerente do Santuário de Elefantes do Espírito Familiar no norte do país, afirma que precisa dirigir três horas todos os dias para encontrar mantimentos suficiente para cinco dos paquidermes sob seus cuidados. McCrae aind relatou que os animais sempre foram felizes, balançando as caudas e batendo as orelhas, mas agora estão deprimidos.

O maior medo dos ativistas dos direitos dos animais e que chegue um momento que eles tenham que escolher entre se alimentar ou os mamíferos.

A Tailândia anunciou hoje,1, a primeira morte em decorrência do novo coronavírus. Desde janeiro, o local registrou 42 infectados, sendo que 30 já se recuperaram da doença e 11 passam por tratamento.