Coronavírus » Pandemia

Coronavírus: No twitter, pandemia aumentou em 900% discurso de ódio contra o povo chinês

A L1ght, empresa responsável por medir a toxicidade online, descobriu que hashtags pejorativas contra a China tomaram a rede social

Paola Churchill Publicado em 30/03/2020, às 11h03

Jovens chineses usando máscaras para se prevenirem contra o coronavírus
Jovens chineses usando máscaras para se prevenirem contra o coronavírus - Getty Images

A pandemia do Coronavírus não está só causando problemas na vida real: uma pesquisa divulgada pela L1ght, empresa especializada em medir toxicidade no meio digital, apontou um aumento de 900% no discurso de ódio contra a China e o povo Chinês, principalmente no Twitter. 

A companhia descobriu que o uso de hashtags pejorativas como #KungFlu, #ChineseVirus e #Comununvirus se tornaram extremamente populares pelos usuários da rede social ao falarem sobre a pandemia.

A pesquisa foi realizada após ativistas, políticos e grupos de direitos humanos nos Estados Unidos se conscientizaram sobre o aumento do número de tweets xenofóbicos que eram direcionados aos asiáticos americanos.

A L1ght analisou sites, redes sociais, fóruns desde dezembro de 2019 até os dias atuais, para ter um balanço do quão problemático eram os discursos online em geral. Grande parte do ódio está sendo direcionada a China e sua população, mas também para todos de origem asiática em outras partes do mundo.

As postagens são caracterizadas por linguagem explícita que culpa o povo asiático pela propagação do COVID-19. Mas apesar de ser um ambiente hostil, a empresa também mostrou que existem pessoas que repudiam essas ações e dão suporte aos chineses.

Um estudo divulgado pela Universidade Johns Hopkins nesta segunda-feira, 30, revelou que o número de infectados ao redor do mundo gira em torno de 735.560 casos; e o número de vítimas passa dos 35 mil.