Coronavírus » Irã

Coronavírus seria “ataque biológico” dos Estados Unidos, afirma comandante iraniano

“Se os Estados Unidos estiver por trás do surto, eles devem saber que o vírus voltará contra eles”, declarou Hossein Salami

Fabio Previdelli Publicado em 05/03/2020, às 12h00

foto de Hossein Salami
foto de Hossein Salami - Wikimedia Commons

O surto de coronavírus no Irã pode ter começado devido a um “ataque biológico” dos Estados Unidos. Pelo menos foi isso que declarou Hossein Salami, chefe do Exército dos Guardiões da Revolução Islâmica, durante um pronunciamento nesta quinta-feira, dia 05.

A alegação aconteceu enquanto Salami discursava em uma cerimônia de comemoração dos comandantes do Corpo da Guarda Revolucionária Islâmica, que ocorreu hoje na província de Kerman. "É possível que esse vírus seja o produto de um ataque biológico da América que se espalhou inicialmente para a China, e depois para o Irã e o resto do mundo", informou a Iranian Students News Agency.

O comandante também declarou que o país irá vencer a “luta” contra o COVID-19 e salientou que “se os Estados Unidos estiver por trás do surto, eles devem saber que o vírus voltará contra eles”.

Segundo dados levantados pelo Ministério da Saúde — que foram divulgados hoje —, já há a confirmação de 3.513 casos no país, sendo que, entre eles, 107 pessoas morreram.  Existe uma preocupação que o Irã esteja subnotificando o número de pessoas infectadas dentro de suas fronteiras, já que a taxa de mortalidade em consequência do agente patológico no país é de 4% — número este, significativamente mais alto se comparado com a de outros países.