Coronavírus » Pandemia

Criminosos aproveitam epidemia do coronavírus para aplicarem golpes virtuais

Grupos usam identidade visual da OMS para pedirem doações de dinheiro e roubarem dados pessoas

Fabio Previdelli Publicado em 23/03/2020, às 11h20

Imagem ilustrativa de um Hacker
Imagem ilustrativa de um Hacker - Pixabay

No último domingo, 22, a Organização Mundial da Saúde (OMS) emitiu um comunicado alertando sobre grupos criminosos que usam o símbolo da instituição e dizem ser funcionários da entidade para aplica golpes financeiros e roubo de informações privadas em meio à pandemia de coronavírus.

A OMS informou que pessoas estão recebendo e-mail com informações relacionadas ao coronavírus. As mensagens, que possui o logo da instituição ou uma referência a mesma, pede para que as pessoas façam doações financeiras para uma conta informada ou para que elas informem seus dados pessoais.

O nome da OMS não foi o único usado para a aplicação desse tipo de golpe. Na Itália, por exemplo, alguns criminosos se disfarçam de agentes sanitários e pedem para famílias inteiras deixarem seus apartamentos por algumas horas. Assim, eles vasculhavam todo o interior do imóvel e roubavam todos os pertences de valor.

No caso do golpe aplicado usando o nome da OMS, o esquema é global. "Os criminosos estão se disfarçando de OMS para roubar dinheiro ou informações sensíveis. Se você for contatado por uma pessoa ou organização que parece ser da OMS, verifique sua autenticidade antes de responder”, diz um trecho do comunicado.

O órgão ainda afirmou que "nunca pedirá seu nome de usuário ou senha para acessar informações de segurança" e "nunca cobra dinheiro para concorrer a um emprego, inscrever-se para uma conferência ou reservar um hotel, nunca realiza loterias ou oferece prêmios, subsídios, certificados ou financiamento através de e-mail”.

"A OMS está ciente de mensagens de e-mail suspeitas que tentam tirar proveito da emergência COVID-19. Esta ação fraudulenta é chamada de phishing", informou. "Estes e-mails de ‘Phishing’ parecem ser da OMS, e irão pedir informações sensíveis, tais como nomes de utilizador ou palavras-passe. Usando este método, os criminosos podem instalar programas ou roubar informações confidenciais".

O comunicado ainda alerta. "Certifique-se de que o remetente tem um endereço de e-mail como 'person@who.int'. "Por exemplo, a OMS não envia e-mails de endereços terminados em '@who.com' , '@who.org' ou '@who-safety.org”.

A OMS também pediu para que as pessoas não tenham pressa em responder a essas mensagens. "Os cibercriminosos usam emergências como o Covid-2019 para fazer com que as pessoas tomem decisões rapidamente. Leve sempre tempo para pensar sobre um pedido para suas informações pessoais, e se o pedido é apropriado”.