Coronavírus » Pandemia

Dono de hospitais é preso por emitir testes falsos de Covid-19 em Bangladesh

O suspeito possui duas instituições médicas, nas quais 4 mil testes ofertados eram eficazes, mas outros 6,5 mil eram falsos

Vanessa Centamori Publicado em 16/07/2020, às 09h57

Imagem ilustrativa de teste de Covid-19
Imagem ilustrativa de teste de Covid-19 - Freepic

Na última quarta-feira, 15, um dono de dois hospitais, em Bangladesh, foi preso após ser acusado de emitir milhares de testes falsos de Covid-19. A intenção dele era enganar pacientes, lucrando cerca de 350 mil dólares com a fraude, segundo informou a CNN

Ainda de acordo com a publicação, o homem se chama Mohammad Shahed, tem 43 anos de idade, e de modo suspeito fugiu durante nove dias, até ser preso enquanto atravessava um rio próximo à Índia. Na ocasião, o investigado usava uma burca para tampar parte do rosto. 

O porta-voz do Batalhão de Ação Rápida de Bangladesh, Ashique Billah, afirmou que os resultados dos testes forjados nas instituições hospitalares de Shahed davam resultados "negativos" para o novo coronavírus.

Além disso, os hospitais tinham se comprometido com o governo a oferecer testagens de modo gratuito, mas cobravam pelos testes, além de também faturarem com tratamentos contra o vírus.  4 mil exames de Covid-19 ofertados pelas instituições eram eficazes, enquanto outros 6,5 mil eram falsos. 

Por enquanto, um tribunal ofereceu à possibilidade ao dono dos hospitais de ficar em custódia por 10 dias para um interrogatório. O caso preocupa, pois a existência de golpes pode desestimular a confiança e a voluntariedade da população em se submeter às testagens.

Blangladesh testa em média, por dia, apenas de 13 mil a 17 mil pessoas — número pequeno para a população de mais de 168 milhões de pessoas. No país asiático mais de 193.500 pessoas contraíram coronavírus e houve 2.457 óbitos, segundo os dados da Universidade Johns Hopkins.