Coronavírus » Venezuela

Em meio às sanções dos EUA, Maduro propõem “petróleo por vacinas”

Presidente venezuelano disse que trabalha para que “as vacinas selecionadas e aprovadas” cheguem ao país

Fabio Previdelli Publicado em 29/03/2021, às 10h58

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro
O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro - Getty Images

Neste último domingo, 28, o presidente venezuelano Nicolás Maduro disse poderá oferecer “petróleo por vacinas” contra a Covid-19, já que, em meio à pandemia, o país passa por novas sanções financeiras aplicadas pelos norte-americanos. As informações são da AFP. 

"A Venezuela tem os navios petroleiros, tem clientes prontos para comprar petróleo de nós. Dedicaria parte da sua produção para garantir as vacinas de que precisa. Petróleo por vacinas!", disse Maduro em uma entrevista na TV pública da Venezuela.  

Washington impôs novas sanções comercias contra a estatal petroleira PDVSA. Com isso, o líder opositor, Juan Guaidó, anunciou que possui acordos para a liberação de fundos que seriam usados para pagar vacinas do sistema Covax.  

Em relação a isso, Maduro afirmou: Estamos preparados, mas não iremos mendigar junto a ninguém”. Antes da opção “petróleo por vacinas”, o presidente venezuelano havia insistido em pedira à Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) que administrasse os fundos congelados para que pudessem pagar 2 milhões de doses destinadas ao país por meio do Covax.  

Entretanto, Maduro assinalou que tal mecanismo só cobrirá 20% das vacinas que a população do país necessita. Outro fator é que essas doses seriam produzidas pela AstraZeneca, que não teve sua autorização aceita pela Venezuela, que teme possíveis efeitos colaterais do imunizante. Apesar disso, Nicolás Maduro diz que conversa com o Opas para que “as vacinas selecionadas e aprovadas” cheguem ao país.  

Maduro tem página bloqueada pelo Facebook por desinformação na pandemia

Nicolás Maduro, presidente da Venezuela, tomou uma punição do Facebook que irá durar 30 dias. Através de seu perfil oficial, o presidente acabou espalhando desinformação relacionada à pandemia de Covid-19. As informações são da agência de notícias AFP.

Maduro teve a página bloqueada na plataforma após a publicação de um vídeo onde descreve o medicamento Carvativir como ‘gotinhas milagrosas’ no combate contra a covid-19, no entanto, o medicamento não conta com estudos publicados que comprovem a sua eficácia diante do novo coronavírus.

++Leia a matéria completa aqui.