Coronavírus » Pandemia

Coronavírus: em supermercado, homem veste capuz semelhante ao usado pelo Ku Klux Klan

Em meio à pandemia, a loja norte-americana exigia que seus clientes vestissem máscaras para entrar no local, a fim de evitar uma maior disseminação da doença

Pamela Malva Publicado em 04/05/2020, às 12h40 - Atualizado às 12h46

Homem com máscara da Ku Klux Klan em mercado norte-americano
Homem com máscara da Ku Klux Klan em mercado norte-americano - Divulgação/Twitter

Enquanto empurravam seus carrinhos por um supermercado em San Diego, nos Estados Unidos, clientes ficaram indignados com uma cena insólita. Na loja, um homem vestia um capuz semelhante ao usado pelo grupo supremacista Ku Klux Klan.

Com roupas normais por baixo da máscara, o homem usou o capuz como forma de provocação. Isso porque, segundo o Huffington Post, o mercado exigia o uso de proteções faciais, a fim de evitar o contágio pelo Coronavírus.

Apesar de ser confrontado por outros clientes do estabelecimento, o homem não retirou a máscara e, assim, não pôde ser identificado. Em nota, a rede de supermercados expressou que o episódio “foi um incidente perturbador”, além de inapropriado.

O prefeito da cidade, John Minto, por sua vez, publicou seu posicionamento em sua conta no Twitter. No post, condenou o “símbolo de ódio” e agradeceu à todos que tentaram “evitar este lembrete da intolerância” ao confrontar o homem no mercado.

Atualmente, segundo a Universidade Johns Hopkins, os Estados Unidos já registraram mais de 1,1 milhão de casos de Coronavírus, sendo que 67 mil pessoas morreram. No Brasil, o número de casos de Covid-19 já ultrapassa a marca de 100 mil. Destes, 42 mil se recuperaram do vírus, enquanto 7 mil foram vítimas da doença.