Coronavírus » Pandemia

FBI prende homem responsável por fraude de empresa que prometia a cura do coronavírus

Keith Middlebrook queria ter investidores para uma empresa que produzia uma pílula supostamente milagrosa

Vanessa Centamori Publicado em 26/03/2020, às 12h20

Foto ilustrativa de agentes do FBI
Foto ilustrativa de agentes do FBI - Divulgação

Nos Estados Unidos, um homem foi preso pelo FBI por solicitar que investidores apostassem seu dinheiro em uma empresa fraudulenta, que teria desenvolvido uma suposta cura para o coronavírus. O indivíduo terá que responder por tentativa de fraude eletrônica, podendo pegar uma pena de até 20 anos de prisão. 

Segundo o Departamento de Justiça dos EUA, o homem responsável pelo esquema tem 53 anos e se chama Keith Lawrence Middlebrook. Ele foi preso durante um encontro com um agente que estava à paisana. Na ocasião, Middlebrook tentava entregar supostas pílulas milagrosas que curariam o coronavírus. 

O homem não só tentava enganar os outros prometendo uma cura, cuja a patente ele dizia que ainda estaria pendente, como também ele contava em sua conta de instagram para seus mais de 2,4 milhões de seguidores que tinha desenvolvido um tratamento supostamente capaz de fazer as pessoas imunes à uma infecção pela Covid-19. 

Modelo da estrutura do coronavírus / Crédito: Wikimedia Commons

 

A empresa envolvida com o escândalo organizado por Middlebrook se passa pelo nome de Quantum Prevention CV Inc. Segundo o departamento norte-americano, fazia parte da companhia o jogador de basquete Magic Johnson, do time Los Angeles Lakers.

"Durante esses dias difíceis, golpes como esse estão usando mentiras para se alimentar de nossos medos e fraquezas", disse o advogado Nick Hanna, ao canal Fox News. " Esse é o primeiro caso de crime federal na nação relacionado à pandemia, mas certamente não será o último".