Coronavírus » Mundo

Hospital italiano divulga primeira imagem da variante ômicron

Cepa possui o dobro de mutações em comparação à delta, mas ainda é cedo para tirar conclusões; veja imagem!

Fabio Previdelli Publicado em 30/11/2021, às 15h15

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - Pixabay

Pesquisadores do hospital Bambino Gesù de Roma, na Itália, divulgaram a primeira representação computadorizada da nova variante ômicron, que já causa preocupação em diversos países do globo. 

A imagem revelou que a nova cepa possui o dobro de mutações se comparado com a variante delta. Apesar disso, segundo os pesquisadores do instituto, é cedo para tirar conclusões sobre o B.1.1529, nome pelo qual o ômicron foi chamado inicialmente. 

Segundo explica o G1, a representação mostrada pelo hospital de Roma, de destaca a proteína S (spike), nota-se que a maior parte das mutações concentra-se em regiões próximas, que são representadas pelos pontos vermelhos (como pode ser visto na imagem abaixo). Já a parte cinza, obviamente, é onde não existe variação. 

Primeira imagem da variante ômicron/ Crédito: Hospital Bambino Gesù de Roma via G1

 

A proteína S, conforme explica portal da FioCruz, é associada à capacidade de entrada do patógeno nas células humanas. É nela que as vacinas agem. Além do mais, o spike é responsável por dar a forma de “coroa” ao vírus. 

[Ter mais mutações] não quer dizer automaticamente que são mais perigosas, diz simplesmente que o vírus se adaptou mais uma vez à espécie humana gerando outra variante", explicou o instituto em nota. "Outros estudos nos dirão se essa adaptação é neutra, menos ou mais perigosa".

O ômicron

Conforme relatado na manhã de ontem, 29, pela equipe do site do Aventuras na História, a nova cepa já foi identificada em todos os continentes. Por conta disso, a União Europeia, os Estados Unidos e outros países suspenderam voos oriundos de alguns países africanos, onde os primeiros casos foram identificados. 

Além do mais, de acordo com a OMS, o número de mutações da variante ômicron pode fazer com que as vacinas não possuam a mesma proteção em relação a outras cepas. O diretor-geral da organização, o grego Tedros Adhanom afirmou que a B.1.1.529 pode apresentar um risco global “muito alto”

O caso mais marcante de infecções da nova cepa aconteceu no último final de semana em Portugal. Por lá, as autoridades sanitárias do país confirmaram que 13 jogadores do Belenense, clube de futebol que tem sede em Lisboa, foram contaminados com a cepa. 

Por conta disso, na última rodada do campeonato português, a equipe entrou em campo com apenas 9 atletas para enfrentar o Benfica, sendo que dois atletas eram goleiros — um deles jogou na linha. A equipe perdia por 7x0 quando o jogo foi encerrado logo nos primeiros minutos da segunda etapa.