Coronavírus » Brasil

“A mutante brasileira deveria se chamar mutante Bolsonaro”, diz Nicolás Maduro

Presidente da Venezuela ainda acusou o mandatário brasileiros de ser “louco, insensível e psicopata”

Fabio Previdelli Publicado em 05/04/2021, às 11h17

Nicolás Maduro, presidente da Venezuela
Nicolás Maduro, presidente da Venezuela - Getty Images

Segundo informações do UOL, o presidente venezuelano Nicolás Maduro realizou ontem, 04, um balanço para discutir o avanço do novo coronavírus no país. Durante uma de suas falas ele criticou o presidente Jair Bolsonaro pela situação que o Brasil se encontra.  

“A mutante brasileira deveria se chamar mutante Bolsonaro, porque ele é culpado por abandonar o seu povo, por ser louco, insensível, psicopata”, disse o mandatário venezuelano.

“É um psicopata, não o interessa as pessoas do Brasil, só a sua loucura. E veja a situação em que meteu Brasil e a humanidade. Brasil é o epicentro", completou. 

A fala de Maduro aconteceu justamente no dia que o país ultrapassou a marca de 331.000 mortes pela Covid-19 e de mais de 13 milhões de infectados, com os dados consolidados até a noite de ontem — que serão atualizados nas próximas horas. 

Segundo o consórcio dos veículos de imprensa, que reúnem os números da Covid-19 no país juntos as secretarias de saúde, nas últimas 24 horas do domingo, o Brasil registrou 1.233 óbitos — o que totaliza uma média de 2.747 mortes por dia na última semana.  

Por outro lado, em um ponto de vista mais animador, o levantamento dos veículos de imprensa também apontou que o país ultrapassou a marca das 19,4 milhões de vacinados contra o novo coronavírus, o que corresponde a 9,2% da população.  

Sobre a Covid-19

De acordo com as últimas informações divulgadas pelos órgãos de saúde, atualmente, o Brasil registra mais de 13 milhões de pessoas infectadas, e as mortes em decorrência da doença já bateram a marca dos 331.000 no país.  

Em 1º de dezembro de 2019, o primeiro paciente apresentava sintomas do novo coronavírus em Wuhan, epicentro da doença na China, apontou um estudo publicado na revista científica The Lancet em fevereiro deste ano.  

De lá pra cá, a doença já infectou 131 milhões de pessoas ao redor do mundo, totalizando mais de 2,85 milhão de mortes, sendo mais de 331 mil delas apenas no Brasil, que está no segundo lugar entre os países onde mais pessoas morreram por complicações da Covid-19.