Coronavírus » Pandemia

No dia em que Rússia bate recorde de contaminados, Putin anuncia flexibilização de quarentena

País se tornou a terceira nação no mundo em número total de notificações — ultrapassando Itália e Reino Unido

Fabio Previdelli Publicado em 11/05/2020, às 16h00

O presidente russo, Vladimir Putin
O presidente russo, Vladimir Putin - Wikimedia Commons

Nesta segunda-feira, 11, uma nova alta de casos fez com que a Rússia ultrapassasse a Itália e o Reino Unido e se tornasse o terceiro país do mundo em número total de notificações por conta do novo coronavírus.

Segundo dados da Universidade Johns Hopkins, nas últimas 24 horas foram contabilizados 11.656 novos casos da Covid-19 — contabilizando um total de 221.344 pessoas infectadas.

Apesar dos números alarmantes, o presidente Vladimir Putin anunciou que fará uma flexibilização de bloqueios no país a partir de amanhã, 12. Conforme noticiou o The Guardian, líder russo afirmou que “alguns setores” voltarão ao normal, apesar das restrições estarem vigentes.

“Temos um processo longo e difícil pela frente, sem espaços para erros”, disse Putin. Apesar da fala, a decisão não deve afetar a capital Moscou, que é considerada o epicentro da epidemia na Rússia. Por lá, o bloqueio deve permanecer, no mínimo, até o fim desse mês.

Ainda que apresente um número grande de infectados, até o momento, o país só registrou o óbito de 2.009 pessoas em decorrência de complicações do novo coronavírus. No entanto, há suspeitas que esses dados estejam sendo subnotificados e devem ser maiores.