Coronavírus » Brasil

No Macapá, enfermeira precisa se equilibrar em tronco de árvore para vacinar a população

"Nenhum obstáculo impedirá de levar saúde a essas pessoas que moram distante”, declarou Marquelhe Baliero

Fabio Previdelli Publicado em 06/04/2021, às 14h50

Enfermeira atravessando em cima de um tronco
Enfermeira atravessando em cima de um tronco - Divulgação

Em uma das maiores crises sanitárias da História, a importância dos profissionais de saúde se torna cada vez mais evidente.

Com pouco mais de 21 mil casos confirmados de Covid-19, o município de Santana, que fica a 20 quilômetros de Macapá (AP), segue lutando para vacinar sua população

Apesar disso, nem sempre a tarefa seja muito fácil, como mostra um vídeo compartilhado pela prefeitura da cidade.

Na gravação, é possível ver Marquelhe Baliero, que é responsável pela equipe de imunização, atravessando um lago em cima de um tronco de madeira, enquanto se apoia em cipó amarrado do outro lado de seu destino. As informações são do UOL. 

Segundo informou a prefeitura, há regiões em que os próprios profissionais de saúde precisam se dirigir para vacinar a população, sendo a zona rural uma delas, afinal, o deslocamento da população aos postos de vacinação é mais difícil.  

Apesar disso, Baliero se diz orgulhosa de seu trabalho. "Nenhum obstáculo impedirá de levar saúde a essas pessoas que moram distante, têm dificuldades de deslocamento e precisam de atenção, tanto quanto quem reside na área urbana do município. A missão é cansativa, porém gratificantes demais".

Sobre a Covid-19

De acordo com as últimas informações divulgadas pelos órgãos de saúde, atualmente, o Brasil registra 13.023.189 de pessoas infectadas, e as mortes em decorrência da doença já chegam em 333 mil no país.  

Em 1º de dezembro de 2019, o primeiro paciente apresentava sintomas do novo coronavírus em Wuhan, epicentro da doença na China, apontou um estudo publicado na revista científica The Lancet em fevereiro deste ano.  

De lá pra cá, a doença já infectou 132 milhões milhões de pessoas ao redor do mundo, totalizando mais de 2,86 milhões de mortes, sendo mais de 333 mil delas apenas no Brasil, que está no segundo lugar entre os países onde mais pessoas morreram por complicações da Covid-19.