Coronavírus » Pandemia

Nova variante do coronavírus pode ser mais transmissível entre as crianças, afirmam especialistas

Acredita-se que a nova cepa identificada no Reino Unido, seja até 70% mais contagiosa que a anterior

Penélope Coelho Publicado em 22/12/2020, às 07h15

Imagem ilustrativa de um teste positivo para coronavírus
Imagem ilustrativa de um teste positivo para coronavírus - Divulgação/Pixabay

De acordo com informações publicadas na última segunda-feira, 21, pelo jornal O Estado de São Paulo, especialistas da área médica afirmam que a variante do novo coronavírus — que está circulando no Reino Unido —, apresenta mutações que podem levar a um contágio maior entre as crianças.

Segundo cientistas do Grupo de Aconselhamento sobre Novas Ameaças de Vírus Respiratórios, diferentemente da cepa anterior, com a nova variante as crianças estão tão suscetíveis ao vírus quanto os adultos.  

“Há uma indicação de que há uma maior propensão para a infecção de crianças”, disse Neil Ferguson, professor e especialista envolvido no estudo da nova cepa. Contudo, o profissional reitera que é preciso aguardar para ver como a variante irá se comportar, para entender se a indicação é ou não verdadeira. Mas, de acordo com os cientistas, os indicativos são altos.

"Agora temos um grau alto de confiança no fato de que essa variedade tem uma vantagem de transmissão em relação a outras variedades que estão atualmente no Reino Unido", afirmou Peter Horby, especialista e diretor do grupo.

Após inúmeras pesquisas os cientistas concluíram que a nova variante do coronavírus é até 70% mais transmissível do que as haviam sido detectadas no Reino Unido anteriormente.

Sobre a Covid-19

Sabe-se que atualmente, parte do Reino Unido vive um novo lockdown em decorrência da nova cepa do vírus. De acordo com as últimas informações divulgadas pelos órgãos de saúde, a Inglaterra tem atualmente 1.772.635 casos de infecção pelo novo coronavírus, com 59.005 mil mortes registradas em decorrência da doença.

Em 1º de dezembro de 2019, o primeiro paciente apresentava sintomas do novo coronavírus em Wuhan, epicentro da doença na China, apontou um estudo publicado na revista científica The Lancet em fevereiro deste ano.  

De lá pra cá, a doença já infectou mais de 77 milhões de pessoas ao redor do mundo, totalizando mais de 1.703.164 milhão de mortes, sendo mais de 187 mil delas apenas no Brasil, que está no segundo lugar entre os países onde mais pessoas morrerem por complicações da Covid-19. O primeiro deles é os EUA, com mais de 319 mil.