Coronavírus » Pandemia

Papa Francisco teme violência contra mulher no período de confinamento

O Santo Padre também prestou uma homenagem às mulheres que estão lutando contra o coronavírus

Penélope Coelho Publicado em 13/04/2020, às 15h00

Papa Francisco durante celebração
Papa Francisco durante celebração - Getty Images

Nesta segunda-feira, 13, o Papa Francisco advertiu que a violência doméstica contra a mulher pode aumentar durante o período de confinamento tomado como medida para tentar controlar o número de casos de infecção por coronavírus.  

Discursando em sua biblioteca oficial, e não na janela com vista para a Praça de São Pedro como de costume, o líder da religião católica disse: “Às vezes elas (mulheres) correm o risco de serem vítimas de violência em uma coabitação que suportam como um fardo que é pesado demais [...] Oremos por elas para que o Senhor lhes conceda força e que nossas comunidades as apoiem, assim como suas famílias.".

Além disso, ele ainda elogiou as mulheres que estão na linha de frente para combater o novo vírus. Mencionou médicas, enfermeiras, carcereiras, policiais e vendedoras de artigos essenciais.

Violência doméstica na pandemia

Em alguns países as chamadas para o disque-denúncia de mulheres vítimas de violência aumentaram no período de isolamento social, já que as pessoas tem que permanecer em casa devido à pandemia de coronavírus.

Nos Estados Unidos, a Associação Cristã de Moças do norte de Nova Jersey afirmou que as ligações de denúncia aumentaram em 24%. Na Espanha, as chamadas cresceram 12,4% durante as duas primeiras semanas do isolamento em comparação com a mesma quinzena do ano passado.