Coronavírus » Rio de Janeiro

Pessoas saem em busca de sobras da vacina contra o Coronavírus

No Rio de Janeiro, cariocas de todas as idades estão esperando nos postos de saúde por doses não aplicadas do imunizante

Pamela Malva Publicado em 03/02/2021, às 13h30

Imagem meramente ilustrativa de vacinas
Imagem meramente ilustrativa de vacinas - Divulgação/Pixabay

No Rio de Janeiro, a busca incessante por doses da vacina Oxford/AstraZeneca levou um grupo de cariocas até a porta dos fundos do Centro Municipal de Saúde João Barros Barreto, a fim de aproveitar do que restou do imunizante administrado pelo posto.

Na terça-feira, 02, por exemplo, após o fim do horário de vacinação, um funcionário da unidade anunciou que apenas uma dose do imunizante estava disponível. Entre as cerca de 20 pessoas que esperavam, todas com menos de 90 anos (grupo prioritário na atual fase do plano de vacinação), ele optou por vacinar a mulher mais velha do grupo.

Segundo O Globo, não existe qualquer irregularidade em esperar pelos restos da vacina. Pelo contrário, as orientações da prefeitura sugerem que os postos evitem ao máximo o desperdício dos imunizantes. Se alguma dose sobrar, por exemplo, a regra é que algum paciente do grupo de risco seja escolhido para receber o medicamento.

Embalada em frascos com dez doses, a vacina Oxford/AstraZeneca precisa ser utilizada logo após a abertura do lacre, com no máximo seis horas de tolerância. Por isso, inclusive, os funcionários recebem a orientação de que só devem abrir a embalagem quando pelo menos dez pacientes estiverem na fila do posto.