Coronavírus » Pandemia

Província italiana com baixo número de casos positivos de coronavírus será estudada

Pesquisadores querem entender o motivo do local não ter sido tão afetado pela pandemia — que matou mais de 12 mil pessoas na Itália

Penélope Coelho Publicado em 01/04/2020, às 11h47

Cidade histórica de Ferrara na Itália
Cidade histórica de Ferrara na Itália - Pixabay

Segundo a ANSA, principal agência de notícias da Itália, a província de Ferrara, localizada na região italiana da Emília-Romagna, será alvo de análises depois que a pandemia de Covid-19 acabar. Isso porque os especialistas querem entender porque o local não foi tão afetado pelo vírus, como as outras partes do país.

 "Assim que tudo acabar, nós buscaremos entender porque os contágios nunca cresceram em Ferrara [...] isso pode ser útil para outros cidadãos". Explicou o assessor de Políticas para a Saúde de Emília-Romagna, Sergio Venturi.

O fato mais intrigante são as cidades vizinhas, como Bolonha, que registra um alto número de casos. Incluindo a área de Emília-Romagna, que é segunda região com mais casos de coronavírus na Itália, com 13.531 pessoas contaminadas, atrás somente da Lombardia, que registra 42.161 contágios.

No entanto, em Ferrara os números são bem mais baixos, são 306 casos positivos para Covid-19 em uma população de 345 mil habitantes. As demais províncias que compõem a Emília-Romagna também têm dados bem mais altos: Forlì-Cesena com 683 contágios, em Modena são 2.137, Parma tem 1.859, Ravenna tem 568, em Reggio-Emília são 2.208 e Rimini tem 1.382 casos, segundo dados divulgados pela ANSA, na última segunda-feira, 30.

Ao todo, o país teve 12.428 mortes causadas pelo coronavírus, depois de 837 novos óbitos registrados ontem, 31, segundo dados da Defesa Civil italiana. No total, são 77.635 casos de coronavírus confirmados na Itália.