Coronavírus » Pandemia

Que fim levou o Mercado de Frutos do Mar de Huanan?

O local foi um dos responsáveis pela disseminação do novo coronavírus, mas não há provas de que tenha sido a origem da pandemia

Nicoli Raveli Publicado em 23/05/2020, às 10h00 - Atualizado às 12h30

Mercado de Frutos do Mar de Huanan em funcionamento
Mercado de Frutos do Mar de Huanan em funcionamento - Divulgação

O final de 2019 foi marcado pela aparição de um novo coronavírus na China com o epicentro em Wuhan. A partir de então, a Organização Mundial da Saúde passou a investigar o caso, que incluía desde um vídeo de sopa de morcego até um Mercado de Frutos do Mar da cidade.

Durante as investigações, foi descoberto que a filmagem, porém, está longe de ter acontecido na China. Segundo a própria autora, o vídeo foi feito em 2016 em Palau, um arquipélago no oceano Pacífico. Além disso, a própria OMS já alegou que não há nenhuma evidência de que a refeição tenha sido a responsável pela propagação do coronavírus no país asiático.

Youtuber chinesa comendo morcego / Crédito: Divulgação/ Facebook

 

Mas o comunicado da organização não fez com que os boatos acabassem. Por sua vez, o caso do mercado localizado no epicentro do vírus foi analisado: de 41 pessoas que já estavam hospitalizadas em Wuhan — e foram diagnosticados com SARS-CoV-2 — dois terços haviam comparecido ao Mercado de Frutos do Mar de Huanan.

A partir da descoberta, foi determinado que o local fosse fechado para que as questões sanitárias pudessem ser analisadas. 585 amostradas foram colhidas e, entre elas, 33 apresentaram evidências de Covid-19, segundo o Centro Chinês de Controle e Prevenção de Doenças.

Consequências

Não demorou a que a situação chamasse atenção dos veículos de comunicação. Logo, o mercado — que ocupava 50 metros quadrados e atendia mais de mil pessoas que buscavam por animais selvagens — foi citado em jornais como The Wall Street Journal e Time.

O Business Insider, por sua vez, declarou que era comum avistar animais abatidos e suas carcaças. Já o New York Times, disse que o saneamento era péssimo, com pouca ventilação e havia lixo empilhado em pisos molhados, tudo em meio a 120 animais selvagens em 75 espécies.

Faxada do mercado em Wuhan / Crédito: Divulgação 

 

Apesar das mínimas questões sanitárias, não foi comprovado se o mercado realmente foi o responsável pelo início do surto. Todavia, diversos estudos buscam por uma comprovação, como é o caso de um artigo que foi publicado no The Lancet.

No documento, cientistas renomados alegaram que das 99 pessoas que foram confirmadas com Covid-19 em Wuhan (entre 1 a 12 de janeiro) 49 haviam comparecido ao mercado. Não foi dito, entretanto, se o mercado era a origem da pandemia.

Após inúmeros estudos, foi dito que a área desempenhou um papel no cenário do surto, mas questionou novamente a possibilidade do mercado ter sido o responsável pelo nascimento do novo coronavírus.

Mercado de Frutos do Mar, localizado em Wuhan / Crédito: Divulgação 

 

Por mais que o governo chinês tenha proibido a venda e consumo de animais silvestres, e mesmo sem um resultado plausível, acredita-se que a rede de alimentos tenha sido reaberta em 14 de abril, assim como diversos mercados de animais selvagens e silvestres na Ásia.


+ Saiba mais sobre o tema por meio de grandes obras disponíveis na Amazon:

A História da humanidade contada pelo vírus, de Stefan Cunha Ujvari (Ebook) - https://amzn.to/2XiXHf2

Anatomia de Uma Epidemia. Pílulas Mágicas, Drogas Psiquiátricas e o Aumento Assombroso da Doença Mental, de Robert Whitaker (2017) - https://amzn.to/2ZnEAmW

Pragas e Epidemias: Histórias de Doenças Infecciosas, de Antonio Carlos de Castro Toledo Jr. (2006) - https://amzn.to/2ynPr5c

Pandemias: a humanidade em risco, de Stefan Cunha Ujvari (Ebook) - https://amzn.to/2ZoYs94

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, a Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.

Aproveite Frete GRÁTIS, rápido e ilimitado com Amazon Prime: https://amzn.to/2w5nJJp 

Amazon Music Unlimited – Experimente 30 dias grátis: https://amzn.to/2yiDA7W