Coronavírus » Brasil

Segundo Datafolha, 76% dos brasileiros acredita que vacinação acontece de maneira lenta

Até a última sexta-feira, 19, apenas 7,14% da população havia tomada a primeira dose de imunizantes

Fabio Previdelli Publicado em 21/03/2021, às 08h00

Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa - Pixabay

O Brasil vive seu pior momento dentro da pandemia do novo coronavírus. Os números mostram isso. Segundo dados levantados pelo consórcio dos veículos de imprensa, entre a segunda-feira (15) e a sexta (19), 12.198 pessoas morreram no país em decorrência da Covid-19. 

Muitos consideram que estamos em um buraco sem fundo, angustiados pela demora na vacinação. Pelo menos é isso que aponta pesquisa feita pelo Datafolha. Segundo os dados, 76% dos brasileiros acreditam que a imunização ocorre de maneira lenta. 

Para 18%, ela está sendo aplicada em um ritmo adequado. E o restante, cerca de 6%, diz que as vacinas estão sendo aplicadas mais rápido do que deveriam. Ao todo, 2.023 pessoas foram ouvidas pelo telefone entre os dias 15 e 16 de março. A margem de erro é de dois pontos percentuais.  

Segundo informações fornecidas pelas secretarias de saúde, até a última sexta-feira, 19, 15.615.057 pessoas haviam sido vacinadas — sendo 11.492.584 com a primeira dose e 4.122.203 com a segunda. O que representa que apenas 7,14% da população tomou a primeira dose e 2,56% a segunda. 

Além disso, o Datafolha também questionou os entrevistados em quanto tempo eles acham que toda a população brasileira, acima de 18 anos, seria vacinada: 43% acreditam que todo o processo de imunização demorará entre seis meses e um ano. 

26% acredita que o tempo será maior, entre um ano e meio e dois anos. Já os grupos mais otimistas e pessimistas representam 10% cada da opinião popular. Os mais esperançosos acreditam na vacinação geral seja aplicada em até seis meses; e a outra parte acredita que isso acontecerá só depois de dois anos.  

Para se ter uma ideia, segundo painel Monitora Covid-19, da Fiocruz, precisaríamos de mais 1.694 dias para toda a população acima dos 18 anos ser vacinada, se continuássemos nesse ritmo. Ou seja, até 2023. 

Já um levantamento de fevereiro, feito pela Universidade federal de Juiz de Fora (UFJF), mostra que se 2 milhões de pessoas fossem vacinadas por dia, seria preciso um ano para que todos tivessem imunizados.