Coronavírus » Pandemia

Vacina de Oxford: Pessoa que apresentou reação adversa é uma mulher que não recebeu placebo

Em decorrência dos sintomas apresentados os testes da vacina foram interrompidos, porém, de acordo com o CEO da farmacêutica AstraZeneca a voluntária passa bem

Penélope Coelho Publicado em 11/09/2020, às 09h21

Imagem ilustrativa de vacina
Imagem ilustrativa de vacina - Pixabay

Voluntário que participou dos testes clínicos da vacina contra a Covid-19 — que está sendo produzida pela Universidade de Oxford em parceria com a AstraZeneca —  e apresentou reações adversas era uma mulher que não fazia parte do grupo de placebos, ou seja, ela verdadeiramente recebeu o imunizante durante os testes. As informações são do site Stat News e foram divulgadas pelo jornal O Globo.

Esses detalhes sobre o ocorrido que levou a uma suspensão temporária dos testes da vacina vieram à tona durante uma conferência privada realizada pelo CEO da farmacêutica, Peter Soriot, como revelou o jornal Stat News.

De acordo com o portal, o homem também confirmou que a voluntária teria apresentado um quadro de mielite transversa, uma doença inflamatória na medula espinhal. Contudo, afirmou que a mulher já teve alta e atualmente passa bem.

Ainda segundo o Stat, Soriot confirmou que essa não era a primeira vez que os testes da vacina tiveram que ser suspensos, o mesmo já havia acontecido em julho quando um voluntário apresentou o mesmo quadro de mielite transversa.

Porém, na ocasião, os testes voltaram a acontecer já que foi constatado que o paciente em questão sofria de esclerose múltipla e a reação não teve relação com a vacina. Atualmente, ainda não se sabe quando os testes da chamada fase 3 da vacina de Oxford retornarão e eles continuam suspensos inclusive no Brasil.