Coronavírus » Pandemia

“As vacinas são bens públicos”, diz diretora da OMS

Para Mariângela Simão, não deve existir uma descriminação entre quem paga e não paga por elas. Fala ocorreu depois de clinicas particulares no Brasil abrirem negociação para compra do imunizante

Fabio Previdelli Publicado em 06/01/2021, às 11h10

Imagem ilustrativa de vacina
Imagem ilustrativa de vacina - Pexels

"O entendimento atual é que neste momento as vacinas são bens públicos neste momento e não deveria haver discriminação no acesso à vacina entre quem paga e não paga", declarou Mariângela Simão, diretora da Organização Mundial da Saúde (OMS) responsável pelo acesso a medicamentos. A fala foi dita durante uma entrevista à GloboNews, que foi repercutida pelo UOL.  

A declaração ocorreu depois que clinicas particulares no Brasil abriram negociações para adquirir imunizantes de laboratório indiano.

Mariângela salientou que ainda é preciso esperar mais informações sobre a iniciativa, porém, disse que, em todo mundo, a compra de vacinas tem sido feita por seus respectivos governos.  

"A informação que a OMS trabalha é que a imensa maioria da produção neste momento está comprometida com compras governamentais. A situação do Brasil é bastante peculiar e precisaria verificar melhor a expectativa, quando viria, como seria autorizada", completou.  

No fim de semana passado, a Associação Brasileira das Clínicas de Vacina (ABCVAC) disse que o setor negocia a compra de cerca de 5 milhões de vacinas imunizantes a Covid-19 fabricada pela Bharat Biotech, farmacêutica indiana.  

No último sábado, 2, o imunizante, chamado de Covaxin, recebeu autorização para uso emergencial na Índia. Entretanto, ainda não foram divulgados dados sobre sua eficácia. Mesmo assim, a ABCVAC enviou representantes ao país para negociar a compra de vacinas.