Testeira
Colunas / Daniel Bydlowski » Entretenimento

De 'Star Wars' a '2012': Confira 9 filmes que extrapolaram os limites da ciência

Produções que fazem barulho no espaço? Explodem em pela órbita? Desafios da física acontecem o tempo todo em Hollywood

Daniel Bydlowski, cineasta Publicado em 10/04/2022, às 08h00 - Atualizado em 13/04/2022, às 12h20

Imagem promocional de 'Star Wars: A Ascensão de Skywalker'
Imagem promocional de 'Star Wars: A Ascensão de Skywalker' - Divulgação/Walt Disney Studios

Uma consultoria científica faria bem, não é? Porém, os filmes de ficção científica, ou guerras espaciais, ou mesmo de laboratórios maléficos têm as partes fantasiosas, sim! Caso contrário, seria o mais do mesmo e não existiria a magia necessária para que o cinema funcione.

Porém, a questão é, até onde podemos chegar? Será que não teria um limite para usar dentro das regras da ciência, e a partir disso, vir a parte da fantasia?

Eu, particularmente, acredito que tem lugar para as loucuras fantasiosas e respeito que guerras no espaço tenham som, porque o que seria de uma batalha especial sem as sonoplastias das armas e naves?

Vamos algumas dessas discrepâncias.

1. Star Wars

Cena de Star Wars: A New Hope (1977) /Crédito: Divulgação

George Lucas está perdoado, afinal, imagina se a franquia ‘Star Wars’, que tem o espaço como um dos seus maiores palcos, não utilizasse sons emocionantes. Mas a verdade é que o espaço é vazio, ou seja, não há partículas que possam causar a vibração necessária para que o som saia.


2. 2001: Uma Odisseia no Espaço

'2001: Uma Odisseia no Espaço', que explosão, não? Mas é mais um desafio à física. No espaço, não há oxigênio, portanto as explosões não acontecem. E se acontecessem, duraria o suficiente para acabar com O2 da nave, que é o único lugar que o tem.


3. O Dia Depois de Amanhã

Cena de 'O Dia Depois de Amanhã' /Crédito: Divulgação/Vídeo/Youtube

Em ‘O Dia Depois de Amanhã’, um planeta é inundado e congelado e tudo bem. Depois é só colocar na função de descongelar do forno microondas. Não é bem assim. Quando a água passa pelo processo de congelamento, ela se expande... Portanto, para uma cidade congelada, por exemplo, além de demorar muito mais para acontecer do que no tempo do filme, a água petrificada destruiria tudo que ficasse dentro da zona de inundação, não sobraria muita coisa.


4. Perdido em Marte

Em ‘Perdido em Marte’, me parece que não foi só no roteiro que se perderam, na ciência também. A comunicação entre planetas seria muito, muito difícil... E o delay não seria de segundos, minutos, nem mesmo horas. Poderiam ser anos até que a mensagem chegasse ao destino.


5. Armageddon

Só de ouvir “don´t wanna close my eyes, don´t wanna fall asleep”, já arrepia. Mas um asteroide do tamanho do Texas? Não existe em nosso espaço. Fica difícil elencar os erros de ‘Armageddon’. Primeiro, porque o filme é muito bom, com um elenco incrível, segundo, porque são muitos detalhes.

Por exemplo, um cometa jamais tiraria um asteroide da órbita, principalmente, se existisse um tão grande como o retratado, e, além disso, pelo tamanho e proximidade com o nosso planeta, seria possível ser visto facilmente a olho nu.

Inclusive, dizem por aí que a NASA coloca o filme para que os seus estagiários vejam se conseguem detectar os 168 erros científicos.


6. 2012

‘2012’ anunciava o fim do mundo ou da noção científica? No enredo, o astrofísico da Índia descobre uma tempestade solar, o que causa o aumento de temperatura do núcleo da terra por conta de uma transformação dos neutrinos (partículas subatômicas sem carga elétrica e com massa muito menor que a de um elétron).

Mas a questão é: se essas partículas se alterassem elas transformariam o nosso querido planeta em carvão, o que não daria tempo para todos os acontecimentos desastrosos do filme.


7. O Sexto Dia

O Sexto Dia /Crédito: Divulgação

A ovelha Dolly que o diga, o longa ‘O Sexto Dia’ falhou. Todos nós gostaríamos de dois Arnold Schwarzenegger, mas assim como acontece na ciência, em idades diferentes para que seu legado continuasse e, mesmo assim, não seria garantia das incríveis atuações. Isso porque, ao clonar uma célula, ela não tem o mesmo tempo de vida e nem geraria um ser com uma cópia da mente do original, seria outra construção de pessoa, desde seu nascimento.


8. Star Wars (novamente...)

O lado certo da força faz com que as coisas aconteçam?  Mais uma vez ‘Star Wars’ vai aparecer nesta lista. Triste, não? Só se os Jedis conseguissem ser mais rápidos que a luz para desviar dos lasers dos sabres. Será? Poderiam ter especificado isso como uma qualidade Jedi. “Mais rápido que a velocidade da luz, você deve ser”. Ainda, no espaço você não conseguiria ver esses feixes.


9. Superman (1978)

Mesmo que o Homem de aço existisse e fosse capaz de fazer com que a Terra girasse, ele teria feito errado em Superman (1978). Isso porque ele movimentou o globo para o lado errado, ou seja, ele voltaria no tempo. Ciência básica!

Mas mesmo com todos os erros vistos pelas investigações científicas, os filmes são um sucesso, e precisam ignorar certas coisas para fazer com que funcione. E funciona! Porque a magia no enredo é permitida e vale tudo para trazer o expectador para dentro das telonas.