Testeira

Dia do Samurai: Veja 7 filmes que conquistaram o cinema

A sétima arte já nos trouxe louváveis e bravos soldados da aristocracia do Japão; relembre os principais que deixaram um legado

Coluna - Daniel Bydlowski, cineasta Publicado em 24/04/2021, às 00h00

Cena de Os Setes Samurais (1954)
Cena de Os Setes Samurais (1954) - Divulgação

No dia 24 de abril é comemorado o Dia do Samurai. Quem sabia dessa data? E antes que comecem a ler a lista dos guerreiros das produções cinematográficas que devemos sempre celebrar, o melhor é entender o que eles realmente significam.

Na nossa língua, Samurai significa servo. Lá no começo da história, ele era um cobrador de impostos, sim! A mando do rei ele administrava as cobranças e as terras da autoridade do país, uma vez que as disputas eram acirradas e o império tinha uma grande interferência.

Já no Japão Feudal, as funções foram para outro patamar, viraram soldados militares, porém, continuaram a fazer o serviço sujo dos maiorais, administrando áreas comerciais e da agricultura.

No fim? Perderam todo o prestígio e acabaram vistos como os desempregados, que empregavam suas habilidades como mestre de artes, desenvolvendo artesanato, pintura e até mesmo chá.

O interessante é que eles seguiam um código de honra, o Bushido, que tinha regras extremamente rígidas e fazia deles resilientes, corajosos e disciplinados.

O dia marcado para celebrá-los é uma homenagem ao aniversário do mestre Sensei Jorge Kishikawa, que trouxe a arte milenar para o país do canarinho.

Pronto, sabemos quem eles são, agora, vamos lembrar 7 filmes de Samurais que conquistaram o cinema.

1. Os Setes Samurais (1954)

Começamos por esse porque é da lenda Akira Kurosawa, e também, se não é, deveria ser o filme mais conhecido sobre esses guerreiros. A produção se passa em uma vila japonesa que está sendo repetidamente assaltada. Um Samurai é convidado para defender o local, então ele se une a mais 6 soldados que começam a ensinar as pessoas a lutar. A grande batalha acontece quando a vila é atacada por 40 bandidos. Uma luta incrível, cheia das técnicas utilizadas pelos mestres das artes.

2. Trono Manchado de Sangue (1957)

Também do ícone Akira Kurosawa, que se inspira na obra Machbeth, de William Shakespeare. Dois lutadores encontram uma bruxa que lhes faz uma previsão do futuro que seriam do mais alto escalão da comunidade e eles não acreditam. O que ninguém imagina é que uma das esposas é uma vilã que conspira contra o amigo que também fez parte da providência da maga. A partir disso eles começam a se estranhar e uma enxurrada de sangue constrói  o enredo a seguir.

3. A Fortaleza Escondida (1958)

E o rei das histórias dos soldados japoneses não para. Este filme inspirou o diretor George Lucas a produzir Uma Nova Esperança. Dois camponeses derrotados de guerra ajudam um general a transportar um tesouro. Mas o que eles não sabiam é que o verdadeiro tesouro era uma princesa que precisava passar pelas terras de adversários para voltar ao seu clã de origem.  Tem uma veia cômica e cenas de tragédias marcantes.

4. A Espada da Maldição (1966)

Considerado a obra prima de Kihachi Okamoto, a produção é eletrizante do início ao fim. Ryunosuke Tsukue é o melhor e mais temido Samurai, sem escrúpulos e do mal, que após matar seu rival, a sociedade se vira contra ele. Um guerreiro em questão, irmão do homem assassinado, começa uma busca incessante treinando um mestre da esgrima para conseguir seu objetivo. Um filme sem alivio, não se respira do começo ao fim.

5. Rebelião (1967)

Autêntico! Ganhou notoriedade ao ser votado como o melhor filme exibido na Inglaterra na época. É um filme em que um filho e o marido se unem para salvar Ichi. O conflito para conseguir trazer a amada mãe e esposa de volta ao lar é épico. Não há como não se prender ao sofá e entender toda a resiliência de um Samurai que tem um objetivo, principalmente quando ele é passional.

6. O Último Samurai (2004)

Não exatamente um japonês, o personagem Nathan Algren é um veterano da Guerra Civil Americana que vai para o Japão para combater os Samurais. Uma vez raptados pelos inimigos começa a entender a cultura e a aprender muito com aqueles guerreiros. Neste momento o jogo vira, e luta contra as Forças Imperiais, as quais foi para unir forças.

7. 13 Assassinos (2012)

Takashi Miike, conhecido como o Quentin Tarantino Oriental, este filme presta uma homenagem ao diretor japonês Akira Kurosawa, e é claramente inspirado no filme Os Sete Samurais. Em suma, são elegidos 13 guerreiros orientais para assassinar um cruel personagem que utiliza do poder para violentar mulheres e impor suas vontades. A guerra é bastante sangrenta, matar o tirano é uma missão suicida, mas é disso que se trata ser um soldado japonês.


Sobre o cineasta

O cineasta brasileiro Daniel Bydlowski é membro do Directors Guild of America e artista de realidade virtual. Faz parte do júri de festivais internacionais de cinema e pesquisa temas relacionados às novas tecnologias de mídia, como a realidade virtual e o future do cinema. Daniel também tenta conscientizar as pessoas com questões sociais ligadas à saúde, educação e bullying nas escolas. É mestre pela University of Southern California (USC), considerada a melhor faculdade de cinema dos Estados Unidos. Atualmente, cursa doutorado na University of California, em Santa Barbara, nos Estados Unidos. Recentemente, seu filme Bullies foi premiado em NewPort Beach como melhor curta infantil, no Comic-Con recebeu 2 prêmios: melhor filme fantasia e prêmio especial do júri. O Ticket for Success, também do cineasta, foi selecionado no Animamundi e ganhou de melhor curta internacional pelo Moondance International Film Festival.