Testeira
Colunas / Daniel Bydlowski » Entretenimento

Duro de matar é ou não um filme natalino?

A época de Natal sempre traz à tona uma das maiores dúvidas relacionada a sétima arte. Por que, afinal, Duro de Matar é considerado um filme de Natal?

Daniel Bydlowski, cineasta Publicado em 24/12/2021, às 10h00

Cena de Duro de Matar (1988) c/ com modificações
Cena de Duro de Matar (1988) c/ com modificações - 20th Century Studios

Duro de Matar, gravado em 1988, com direção de John McTiernan e estrelado por Bruce Willis, traz a história de John McClane: um policial de Nova Iorque que precisará enfrentar um grupo de ladrões de banco alemães para salvar sua mulher e colegas de trabalho, mantidos como refém.

Até aqui entendemos que é um thriller de ação, certo? E embora o longa tenha sido lançado no meio do ano nos Estados Unidos, virou um clássico do Natal, maior que outros que são estrelados e lançados para a época de festas.

Mas o que, afinal, coloca esse grande sucesso de crítica e público nessa restrita lista de filmes de final de ano?

Baseado no romance 'Nothing Last Forever', do escritor americano Roderick Thorp de 1979, poderíamos dizer com certeza que o enredo de ação traz alguns aspectos natalinos eficientes em seu roteiro e nós vamos falar sobre eles:

1- O longa é todo ambientado em uma confraternização de Natal do escritório da mulher do policial John McClane.


2- Há cerca de 21 elementos natalinos como chapéus de Papai Noel, árvores e comidas típicas que podem ser vistas ao longo do filme. Além de a palavra Natal ser dita 18 vezes durante o longa, superando as palavras “matar” (13 vezes), “tiro” (12 vezes) e “morte” (5 vezes), essas que caracterizam bastante um thriller. Acho que temos um relacionamento sério com o espírito natalino.


3- Apesar de Bruce Willis, protagonista de Duro de Matar, não o considerar um filme de Natal, uma enquete realizada no Twitter revelou que cerca de 79% do público pensa o contrário.


4- A trilha sonora de Duro de Matar tem várias canções natalinas, como 'Let it Snow, Let it Snow, Let it Snow', de Vaughn Monroe, e, inclusive Jingle Bells. Cadê aquele emoji com as mãozinhas viradas para cima?


5- A esposa de John tem nome festivo, Holly.


6- Há muitas trocas de presentes, e até mesmo a arma do confronto final faz alusão aos embrulhos.


7- John tem espirito natalino, a prova está quando ele envia o corpo de um dos capangas de Hans (Alan Rickman) o chefão, pelo elevador com uma mensagem e chapéu de Papai Noel.


8- Há neve! Mesmo o filme se passando em Los Angeles, há neve!


9- Em 2018, o perfil oficial da polícia de Nova York resolveu fazer uma homenagem ao longa, com direito a hasthag #siméumfilmedenatal.


10- De acordo com um comunicado da DISH Network, que estudou o comportamento da audiência de filmes, Duro de Matar foi assistido por mais de 1,3 milhões de pessoas na véspera de natal de 2016, se tornando o 10º filme mais visto nas férias, superando clássicos como “Esqueceram de mim” e “Milagre da rua 34”.


Bom, agora você já pode afirmar que Duro de Matar é sim um filme de Natal e que vale a pena ver de novo!


Sobre o cineasta

O cineasta brasileiro Daniel Bydlowski é membro do Directors Guild of America e artista de realidade virtual. Faz parte do júri de festivais internacionais de cinema e pesquisa temas relacionados às novas tecnologias de mídia, como a realidade virtual e o future do cinema. Daniel também tenta conscientizar as pessoas com questões sociais ligadas à saúde, educação e bullying nas escolas. É mestre pela University of Southern California (USC), considerada a melhor faculdade de cinema dos Estados Unidos. Atualmente, cursa doutorado na University of California, em Santa Barbara, nos Estados Unidos. Recentemente, seu filme Bullies foi premiado em NewPort Beach como melhor curta infantil, no Comic-Con recebeu 2 prêmios: melhor filme fantasia e prêmio especial do júri. O Ticket for Success, também do cineasta, foi selecionado no Animamundi e ganhou de melhor curta internacional pelo Moondance International Film Festival.