Desventuras » Estados Unidos

Bohemian Grove, o clube secreto que já reuniu presidentes dos EUA

Existente a mais de um século, evento é marcado por mistério ao redor de suas reuniões

Wallacy Ferrari Publicado em 08/02/2022, às 17h05 - Atualizado em 04/03/2022, às 18h20

Registro de Ronald Reagan e Richard Nixon em uma das reuniões
Registro de Ronald Reagan e Richard Nixon em uma das reuniões - Divulgação/Lawrence Berkeley National Laboratory

Imagine um local onde alguns dos homens mais importantes do mundo se reúnem de maneira distinta da sociedade para discutir assuntos sem conhecimento público e sem preencher suas devidas agendas oficiais?

Poderia ser até uma teoria de conspiração a lá Illuminati, mas essas ocasiões existem e ocorrem periodicamente na afastada cidade de Monte Rio, no norte do estado da Califórnia, nos EUA. 

Trata-se da confraria Bohemian Grove, sediada em um acampamento em 1872 e que, ao longo de décadas, contou com diversos membros notáveis da sociedade estadunidense, como senadores, deputados, acadêmicos, milionários e até ex-presidentes, como Ronald Reagan e Richard Nixon, que já foram fotografados lado-a-lado em uma das reuniões no local durante a década de 1980.

Sua existência é confirmada, contando inclusive com porta-voz, identificado como Alex Singer. De acordo com ele, em reportagem da BBC de 2013, os eventos são apenas uma reunião da alta sociedade.

Contando com outros convidados, é possibilitado um encontro próximo da natureza em meio aos muitos eventos e compromissos cansativos dos membros. Contudo, o forte esquema de segurança e mistérios sobre as pautas que lá são discutidas levantam diversas dúvidas sobre o que lá ocorre.

O que se faz lá dentro?

O curioso evento chega a ser estudado por um professor de sociologia política chamado Peter Philips, que coletou depoimentos sobre o Bohemian Grove em sua tese de doutorado, entrevistando sócios e chegando a se infiltrar no local. 

Ele estimou que a confraria tenha pouco menos de 3 mil sócios, com uma lista de espera de 15 a 20 anos para ser aprovado — isso se tiver ao menos R$ 25 mil para desembolsar; não encontramos valores atualizados. 

Sua fundação ocorreu por jornalistas e escritores, contando inclusive com o maior nome da literatura no século 19 do país, Mark Twain, mas também com membros da família Rockefeller e, posteriormente, com outros chefes de estado, como Dwight Eisenhower, George Bushe o filho G. W. Bush.

Teorias 

Ao contrário do que conspirações propagam, não havia sinais de cerimônias satânicas, sacrifícios ou discussões oficiais na presença de Peter, contudo, o local é atribuído como o ponto de partida para o Projeto Manhattan, que levou à criação da bomba atômica norte-americana durante a década de 1942, posteriormente dizimando a população de Hiroshima e Nagazaki.

Apesar do segredo por trás das reuniões nos mais de 120 alojamentos dentro do acampamento, há pessoas que se interessam em tornar públicas as reuniões que contam com os importantes nomes.

Uma delas é a ativista Mary Moore, que especulou que se trata de reuniões onde manobras políticas são criadas, principalmente pela presença massiva de conservadores.

Em entrevista à BBC, em 2013, ela esclareceu o desejo da abertura: “O que se faz no Grove é se embebedar, mas é óbvio que também são feitos negócios e política. Estamos usando o Grove como um exemplo. O que queremos é que as pessoas se deem conta de como funciona o mundo da política e das altas finanças. Que vejam como o que é discutido a portas fechadas afeta a todos”, conclui.

Mais histórias curiosas...

Momentos que marcaram a história são contados no podcast 'Desventuras na História', narrado pelo professor de História Vítor Soares, dono do podcast 'História em Meia Hora'. No capítulo, revelamos a história de 10 coisas criadas durante a Segunda Guerra. 

Abaixo, você confere o episódio "Itens que só existem por causa da Segunda Guerra":