Desventuras » Brasil

No Rio Grande do Sul, restauração revela antigas obras

O processo está sendo realizado na Biblioteca Pública do Estado e é patrocinado pelo governo estadual

Pedro Paulo Furlan, sob supervisão de Pamela Malva Publicado em 12/01/2022, às 19h00

Especialista de restauração trabalhando no processo
Especialista de restauração trabalhando no processo - Divulgação / Morganah Marcon

Em 1912, iniciou-se a construção da Biblioteca Pública do Estado do Rio Grande do Sul, que fica no centro histórico da capital, Porto Alegre. O prédio só foi completamente finalizado no ano de sua inauguração, em 1922. O edifício, então, apresenta uma grande importância cultural, não apenas na literatura, como também na arte e na arquitetura.

A biblioteca, que já tem mais de 100 anos de idade, agora é palco de um projeto de restauração de R$ 516 mil, que planeja garantir a boa condição da arquitetura em geral, mas também das pinturas e murais que fazem parte do prédio. E seus esforços já estão mostrando resultados, revelando uma nova pintura, coberta há quase 70 anos.

Nos anos 1950, os afrescos de Fernando Schlater foram colocados sob uma camada de tinta neutra pois, segundo reportagem da rádio Studio.FM, não tinham valor cultural para os diretores da biblioteca na época. Porém, com a nova restauração, coordenada por Morganah Marcon, diretora da Biblioteca Pública do Estado, as obras estão voltando.

Esta etapa do processo de restauração foca nos murais do primeiro andar da biblioteca e já está revelando muito sobre sua história e aspectos que foram cobertos durante os anos. Estas revelações são um momento de grande comemoração, segundo Marcon.

Finalmente, poderemos todos contemplar as belíssimas pinturas murais que estão por baixo da tinta cinza e assim resgatar a verdadeira beleza deste prédio. Estamos muito felizes com esta retomada das obras de restauro, que recuperarão as pinturas decorativas originais”, afirmou a especialista.