Matérias » Brasil Império

Dom Pedro II: Maníaco por fotografia

Fascinado pela então novidade, o imperador montou um dos primeiros e mais ricos acervos de imagens do mundo e de si mesmo - veja aqui

Leandro Narloch Publicado em 08/05/2019, às 12h00

None
Domínio público

Além de várias voltas pelo Brasil, dom Pedro II fez três grandes viagens pelo mundo entre 1871 e 1888, a menor delas com dez meses de duração. Visitou dos Estados Unidos ao Oriente Médio, passando antes por toda a Europa.

No total, foram três anos e sete meses inteiros de recepções de reis, czares, sultões e autoridades. Mas o que mais o atraía eram as novas tecnologias do século 19. Ele chegou a bater papo com o inventor da lâmpada, Thomas Edison, e Grahan Bell, o criador do telefone, e era um dos maiores fãs mundiais da grande moda do fim do século: a fotografia.

Quando não levava fotógrafos na comitiva, dom Pedro posava, ao lado da imperatriz Thereza Christina, para fotógrafos dos estúdios já instalados nos primeiros pontos turísticos do mundo: Egito, Jerusalém e Pompeia. Também comprava cada imagem oferecida pelos primeiros fotógrafos.

Quando morreu, dom Pedro II deixou uma coleção de cerca de 30 mil imagens do Brasil e de todo o planeta. São amostras raras de monumentos e cidades antigas antes da industrialização e da influência do Ocidente.

Líbano

Crédito: Reprodução

Ruínas das 54 colunas do templo de Júpiter, em Baalbeck, no Líbano. Ele foi construído pelos romanos no século 1, depredado por invasões árabes e mongóis, foi vistado por dom Pedro em 1876.


Egito 

Crédito: Reprodução

Na cidade do Cairo visitada por dom Pedro, a mesquita e a madrasa (escola confessional) do sultão Hassan, construídas entre 1356 e 1363, são os monumentos principais. 

Crédito: Reprodução

O imperador aproveitou para adquirir fotos dos núbios, moradores do sul do país.

Crédito: Reprodução

Em 1871, a base da pirâmide de Gizé ainda não havia sido escavada pelos arqueólogos, mas dom Pedro II já estava lá. E registrou o momento na foto com a imperatriz e especialistas em monumentos e hieróglifos (é o primeiro sentado à esquerda).


Jerusalém

Crédito: Reprodução

Em Jerusalém, dom Pedro não deixou de visitar os locais fundamentais na vida de Cristo, como a fortaleza Antônia sobre a Via Crucis.


Pompeia

Crédito: Reprodução

Ruínas arqueológicas, como as de Pompeia, na Itália, foram um dos primeiros pontos turísticos do século 19. Dom Pedro II não deixou de visitá-lo nos dez meses de viagem pela Europa em 1888, e pôde conferir moldes de gesso do espaço ocupado pelas vítimas soterradas pela lava. Também aproveitou para posar com a comitiva ao lado de cientistas, curiosos e autoridades italianas


Saiba mais

As Barbas do Imperador, de Lilia Schwarcz, 1998.