Galeria » Guerras

A inesquecível fotografia do monge budista que ateou fogo em si mesmo em forma de protesto

A fotografia chocou o mundo todo e até hoje é fortemente lembrada

Celso Miranda Publicado em 11/06/2019, às 16h00 - Atualizado às 20h00

Considerada uma das fotos mais famosas da Guerra do Vietnã
Reprodução/Malcolm Browne

A foto tem origem de um vídeo-reportagem, que foi divulgado no mundo inteiro, causando comoção geral. O monge Thích Quảng Ðức pega fogo, em meio a sua calma - fica parado, meditando, enquanto seu corpo arde nas chamas da guerra.

Em 1963, no centro de Saigon, Vietnã do Sul (atual cidade de Ho Chi Minh), o monge budista ateou fogo às vestes, em protesto contra a repressão religiosa e política do presidente Ngo Dihn Diem.

Após a guerra da independência contra a França, o país foi dividido: o Norte ficou sob influência comunista e o Sul era apoiado pelos americanos. Os dois lados haviam concordado em realizar eleições para reunificar o país em 1961. Mas Diem não cumpriu o combinado e as tropas comunistas invadiram o Vietnã do Sul, dando início à guerra. 

Coração do monge, relíquia / Crédito: Wikimedia Commons

 

Em novembro de 1963, um golpe de estado tirou Diem do poder e o país teve dez governantes em 18 meses. Nem isso, nem os protestos que se tornaram comuns, detiveram a guerra, que se estendeu até 1975.

O filme Persona, de Ingmar Bergman, também relatou esse momento importante da história — com uma cena do vídeo aparecendo na televisão, e a atriz em pânico, assistindo.