Galeria » Segunda Guerra

Elvira: O manual de tanque nazista que trazia imagens eróticas

Para convencer os soldados a lerem o manual do tanque Tiger, oficiais alemães tomaram uma medida extrema

Letícia Yazbek Publicado em 05/10/2019, às 12h00

Elvira: medidas extremas
Elvira: medidas extremas - Crédito: Reprodução

Como fazer um bando de jovens recém-saídos da adolescência se interessarem por um calhamaço com detalhes técnicos de um tanque?

Do mesmo jeito com que videogames, quadrinhos e animações de qualidade não necessariamente superior fazem hoje: com uma isca. O serviço ao fã. Ao lado de piadas e gírias, use amplamente de imagens eróticas.

Quando o Panzer VI Tiger entrou em serviço, em 1942, era o mais avançado em qualquer lado. Para não desperdiçar a tecnologia, o comandante Hans Christern se viu diante da necessidade de ensinar aos soldados tudo sobre o funcionamento do novo veículo, mas não havia tempo para longas aulas.

E era preciso fazer com que os garotos prestassem atenção por vontade própria. Christern, então, teve a ideia de transformar o manual em uma apostila simples e divertida.

Esta era sua ideia de diversão.

A primeira aparição de Elvira, na 5ª página / Crédito: Reprodução

 

O tenente Josef von Glatter-Goetz, responsável por produzir o material, incluiu na apostila ilustrações eróticas, versos engraçados e poemas sujos.

Uma das páginas fala sobre a importância e o perigo dos combustíveis / Crédito: Reprodução

 

A moça que aparece ao natural ao lado de fotos e ilustrações de motores, peças e destruição é Elvira.

Água e anticongelante são como um banho fresco para o motor / Crédito: Reprodução

 

Ao longo das páginas, Elvira vai desenvolvendo uma relação com um soldado alemão.

Assim como o protetor solar protege sua pele do sol, o óleo protege o motor do Tiger / Crédito: Reprodução

 

Até chegar ao final feliz.

Outra página dá dicas de como atirar, sem mirar muito alto nem baixo demais / Crédito: Reprodução

 

Além de informações básicas sobre o funcionamento e a manutenção do Tiger, o manual incluía dicas importantes sobre artilharia e técnicas de direção e conservação de combustível. Com Elvira e tudo, foi aprovado pelo general Heinz Guderian, o criador da doutrina da blitzkrieg, a guerra mecanizada moderna.

Não deve ser surpresa, fez sucesso entre a tropa.