Galeria » Rússia

Em imagens raras: o Império Russo em cores

Com método próprio, Sergey Prokudin-Gorsky retratou seu país há mais de 100 anos

Alana Sousa Publicado em 13/11/2019, às 16h49

Na imagem colorizada, Emir de Bukhara
Na imagem colorizada, Emir de Bukhara - Sergey Prokudin-Gorsky

Quem está nestas fotos se perdeu para a História – talvez engolido por ela. São crianças judias junto a um professor em Samarcanda, Uzbequistão, o escritor Liev Tolstói,  camponesas, trabalhadores na mina de Bakalskii, e tantos outros moradores e vendedores do Império Russo.

Atrás da câmera está Sergey Mikhaylovich Prokudin-
Gorsky, um dos grandes pioneiros da fotografia colorida. Com o apoio de Nicolau II, Sergey  obteve permissão do Império para visitar áreas restritas e capturar as imagens que fariam parte do que viria a ser o grande projeto de sua vida.

A imagem é uma legítima captura de cores, não uma foto colorizada manualmente ou por computador. Gorsky havia estudado a técnica de fotografia colorida com o alemão Adolf Miethe. Consistia em tirar três negativos, cada um com um filtro colorido sobre a lente: azul, verde e vermelho. Depois, imprimi-los sequencialmente, agora com em magenta, ciano e amarelo, reconstruindo as cores originais. 

O problema com esse método é que era preciso bater a foto três vezes: no tempo entre elas, qualquer movimento borraria tudo. Gorsky inventou uma técnica baseada em repartir a luz com prismas, de forma que só uma captura simultânea fosse necessária. 

Ele construiu a própria câmera e percorreu o Império Russo sobre trilhos, tirando mais de 3 mil fotos perfeitas de personagens como Emir de Bukhara, governante islâmico absoluto de parte do Uzbequistão, que seria derrubado pelas tropas do Exército Vermelho. 

Apesar da perfeição das imagens, o método de Gorsky não faria sucesso. O primeiro método prático de fotografia colorida a se universalizar seria o Autochrome Lumière, de 1903, substituído na década de 1930 pelo Kodachrome. Quanto a Gorsky, fugiria da revolução bolchevique rumo à França e teria uma discreta carreira como dono de um estúdio fotográfico. Morreria em 1944, a tempo de ver a capital francesa recapturada das forças nazistas.

Confira as fotos abaixo.

Retrato de perfil de uma mulher

 

Moradores da  República do Daguestão 
 Crianças judias com um professor
Homem turcomano

 

Trabalhadores na mina de Bakalskii

 

Três Gerações. A.P. Kalganov com seu Filho e Neta

 

Comerciante de tecidos, em Samarcanda

 

Emir de Bukhara

Crédito de todas as imagens: Sergey Mikhaylovich Prokudin-
Gorsky


Saiba mais sobre o Império Russo através das obras abaixo

O último tsar: Nicolau II, a Revolução Russa e o fim da Dinastia Romanov, de Robert Service - https://amzn.to/2WpbqjG

Os Romanov: O fim da dinastia, de Robert K. Massie - https://amzn.to/2otO67Q

In the Trenches: A Russian Woman Soldier's Story of World War I, de Tatiana Dubinskaya - https://amzn.to/324JVxe

Catarina, a Grande, & Potemkin: Uma história de amor na corte Románov, de Simon S. Montefiore - https://amzn.to/320p0uU

Vale lembrar que os preços e a quantidade disponível dos produtos condizem com os da data da publicação deste post. Além disso, assinantes Amazon Prime recebem os produtos com mais rapidez e frete grátis, e a revista Aventuras na História pode ganhar uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links nesta página.