Notícias » Brasil

10 anos após assassinato de Eliza Samudio, goleiro Bruno afirma que dorme com a consciência tranquila

Anos após o crime que abalou o país, o local exato dos restos mortais da jovem modelo ainda é um mistério

Redação Publicado em 08/09/2020, às 10h35

Goleiro Bruno após o brutal crime
Goleiro Bruno após o brutal crime - Getty Images

10 anos após o brutal assassinato da modelo e atriz Eliza Samudio, o goleiro Bruno, que foi condenado por homicídio triplamente qualificado e sequestro, afirmou em entrevista ao Conexão Repórter, do SBT, que dorme com a consciência tranquila.

Considerado mandante, Bruno não teve participação física no ocorrido, entretanto, afirmou que também não deve pedir perdão a ninguém.

"Não (devo pedir perdão para ninguém). Todas as pessoas que pedi perdão já me perdoaram. Durmo com a minha consciência tranquila", revelou o jogador. "Lógico que não (foi justa a condenação). Tem uma pancada de erro".

Ainda pensando na condenação, Bruno afirmou que não foi “esse demônio”. O crime, que abalou o Brasil, afetou a vida dos familiares da jovem Eliza, incluindo o filho da modelo, que ele mesmo não reconhece. "Não pode falar que é meu filho se não tiver exame de DNA. Se não tem um exame, existe a dúvida. Já pedi na Justiça".

O assassinato

O crime que resultou na brutal morte de Eliza Samudio ocorreu em junho de 2010. A descoberta do episódio ocorreu através de uma ligação anônima. Foi afirmado que Eliza havia sido assassinada pelo goleiro e que o cadáver havia sido escondido num sítio de Bruno em Esmeraldas.

Após a descoberta, nove pessoas envolvidas no sequestro do filho do casal já passaram por condenações ou foram absolvidos, no entanto, o local exato dos restos mortais de Eliza permanece um mistério.