Notícias » Arqueologia

150 crânios sem dentes são encontrados em altar milenar de sacrifício

Descobertas se deram em caverna no México

Fabio Previdelli Publicado em 02/05/2022, às 13h36

Altar com crânios humanos
Altar com crânios humanos - Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH)

Na última quarta-feira, 27, Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH) mexicano anunciou a descoberta de um altar que tinha 150 crânios humanos. O achado se deu em uma caverna em Chiapas, no sul do país, em 2012 — mas os detalhes só foram revelados na última semana. 

Com uma análise mais minuciosa nos restos mortais, constatou-se que eles pertenciam a indivíduos que tiveram suas cabeças arrancadas entre os anos 900 e 1.200 d.C. Acredita-se que o fato ocorreu durante rituais de sacrifício.

A grande maioria dos crânios eram de pessoas adultas, especialmente mulheres. Entretanto, há três esqueletos de crianças no meio dos achados. Um ponto interessante é que nenhum dos crânios tinha dentes. 

Conforme informado por Javier Montes Paz, antropólogo do INAH, até o momento os pesquisadores não conseguiram constatar nenhum sepultamento de um corpo inteiro, visto que foram descobertos apenas fragmentos de ossos. 

Crânios humanos que foram descobertos em caverna/ Crédito: Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH)

“Ainda que não tenhamos o cálculo exato de quantos ossos há, dados que alguns estão muito fragmentados, até este momento podemos falar de aproximadamente 150 crânios”, apontou em um comunicado. 

Outro ponto destacado pelo antropólogo é que não havia sinais de perfurações nos ossos parietais e temporais, o que significa que os crânios foram colocados sobre uma estrutura. "Muitas dessas estruturas eram feitas de madeira, um material que desapareceu com o tempo e poderia ter colapsado todos os crânios."

Detalhes a serem descobertos

Os pesquisadores, agora, tentam buscar respostas para um dos principais questionamentos que a descoberta trouxe: os dentes foram extraídos antes ou depois dos sacrifícios? 

Embora o cenário possa chamar a atenção, ele não é único. Conforme recorda matéria da Galileu, o INAH encontrou, na década de 1980, 124 crânios sem dentes em Cueva de las Banquetas. Fato parecido ocorreu em 1993, quando cinco crânios desdentados foram localizados em Cueva Tapesco del Diablo, na cidade de Ocozocoautla.