Notícias » Arqueologia

186 anos depois, navio naufragado do século 19 é redescoberto

Embarcação estava no ramo da caça de baleias, entenda!

Ingredi Brunato, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 23/03/2022, às 13h56

Fotografia do local do naufrágio
Fotografia do local do naufrágio - Divulgação/ NOAA Ocean Exploration

Os restos de um navio baleeiro de 207 anos foram encontrados no fundo do Golfo do México, conforme divulgado nesta quarta-feira, 23, pela Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA), um órgão do governo do Canadá.

Antes de seu naufrágio numa poderosa tempestade ocorrida em maio de 1836, a embarcação, que se chamava "Industry", teria sido conduzida por uma tripulação formada principalmente de nativos norte-americanos e descendentes dos africanos escravizados, repercutiu o Live Science. 

“Hoje celebramos a descoberta de um navio perdido que nos ajudará a entender melhor a rica história de como as pessoas de cor tiveram sucesso como capitães e membros da tripulação na nascente indústria baleeira americana do início de 1800”, afirmou Rick Spinrad, que é um oceanógrafo e, ainda, o presidente da NOAA.

Na época, a atividade comercial da caça de baleias permitiu que diversos indígenas e negros chegassem o mais próximos da prosperidade quanto lhes era permitido em meio aos preconceitos da sociedade americana no século 19. 

Fotografia do local do naufrágio / Crédito: Divulgação/ NOAA Ocean Exploration

Um fato feliz é que os membros da tripulação não afundaram com seu navio: documentos históricos do período afirmam que um outro baleeiro passando pela região pôde resgatar os náufragos antes que o inevitável desastre ocorresse.

Isso também explica porque foram encontrados tão poucos artefatos dentro da embarcação — os marinheiros puderam juntar seus pertences antes de abandonar a nau.

O acontecimento preservou não apenas a vida dos caçadores de baleias, mas também sua liberdade: isso pois, caso tivessem nadado até a costa, muito provavelmente seriam presos e vendidos como escravos.