Notícias » Mundo

228 anos após ser guilhotinada, joias de Maria Antonieta são vendidas na Suíça

Juntos, os itens luxuosos contam com 112 diamantes

Pamela Malva Publicado em 10/11/2021, às 13h00

Imagem da pulseira leiloada em Genebra
Imagem da pulseira leiloada em Genebra - Divulgação/ Vídeo/ AP

Pouco antes de tentar fugir da França ao lado de seu marido, Luís XVI, durante a Revolução Francesa, Maria Antonieta, a última rainha do país, enviou algumas de suas joias mais preciosas para Bruxelas. Na última terça-feira, 9, duas dessas peças foram vendidas por mais de US$ 8 milhões (cerca de R$ 43,8 milhões) em Genebra, na Suíça.

Segundo informações da agência de notícias AFP, tratam-se de duas pulseiras que, juntas, somam 112 diamantes. Ambas as peças foram arrematadas em menos de cinco minutos, pelo surpreendente valor de 7,5 milhões de francos suíços, quantia que superou — e quase duplicou — a estimativa da casa de leilões Christie's.

"São joias únicas, de origem única. As pessoas querem se identificar com quem as possuía na época e estão dispostas a pagar por essa origem e essa história muito mais do que o que o objeto vale em si mesmo", explicou Olivier Wagner, que é especialista da casa de leilões Sotheby's, em entrevista à AFP.

Nesta quarta-feira, 10, mais peças inestimáveis serão colocadas à venda em Genebra. Dessa vez, no entanto, a Sotheby's vai leiloar um broche e um par de brincos pertencentes a grã-duquesa Maria Pavlovna, tia do último czar russo, Nicolau II.

Compostas por safiras e diamantes, as peças da Romanov já foram vendidas em 2009, por cerca de US$ 500 mil (aproximadamente R$ 2,7 milhões). Agora, contudo, estima-se que o conjunto será arrematado por uma quantia entre US$ 300 mil e US$ 500 mil.