Notícias » Civilizações

27 sítios Maias são descobertos graças à digitalização a laser

Com auxílio de dispositivo a laser, pesquisadores obtêm novas informações sobre a civilização

Joseane Pereira Publicado em 16/10/2019, às 10h00

None
Nacional Center for Airborne Laser Mapping

Uma técnica de sensoriamento remoto tem auxiliado pesquisadores a encontrar evidências dos povos Maia nas florestas tropicais. Denominado Lidar, o sensor a laser teve como última descoberta uma grande rede de canais e campos de cultivo agrícolas. Segundo o professor Tim Beach, da Universidade do Texas em Austin, as descobertas sugerem "impactos humanos precoces e extensos nos trópicos globais”.

Mais de 6.500 milhões de pulsos do Lidar foram enviados, voando 570 metros acima dos locais suspeitos. A área mais estudada foi o campo Paraíso dos Pássaros, que continha um labirinto de canais com mais de 70 km – extensão cinco vezes maior que as suspeitas anteriores.

Uma casa Maia em Belize / Crédito: Wikimedia Commons

 

Para Christopher Carr, professor da Universidade de Cincinnati que não participou da pesquisa, o dispositivo seria capaz de detectar características ignoradas pelos pesquisadores mais experientes."Este documento é outro lembrete de como o Lidar está revolucionando a arqueologia nos trópicos”, afirmou ele.

A pesquisa também auxiliará no entendimento sobre o dióxido de carbono e metano emitidos pelos povos Maia. "Agora estamos começando a entender a pegada humana completa do antropoceno nas florestas tropicais", afirmou Beach em comunicado coletivo. "Essas redes de áreas úmidas podem ter mudado o clima muito antes da industrialização, e essa pode ser a resposta para a longa questão de como uma civilização da floresta tropical foi alimentada".