Notícias » Crimes

32 anos de mistério: australiano é preso por crime ocorrido em 1988

Anos após o incidente, novas investigações apontaram para um crime brutal

Penélope Coelho Publicado em 12/05/2020, às 12h25

Imagem ilustrativa de uma arma na areia
Imagem ilustrativa de uma arma na areia - Pixabay

Nesta terça-feira, 12, um crime de ódio foi possivelmente solucionado pela polícia da Austrália. Scott Price, de 49 anos, foi preso em sua casa, em Sydney, após ser acusado pelo assassinato do estudante de matemática, Scott Johnson, em 1988.

O americano havia se mudado para Sydney recentemente, com o objetivo de ficar com seu parceiro. Na época, Johnson tinha apenas 27 anos quando seu corpo foi encontrado nu, ao fundo de um penhasco no subúrbio de Manly. 

Na ocasião, a morte de jovem foi considerada suicídio pela polícia, porém, o irmão da vítima, Steve Johnson já havia informado anteriormente que essa conclusão era inconcebível. Isso porque o irmão não apresentava sinais de que estaria a beira de tirar a própria vida.

Em 2017, algumas investigações foram refeitas e as autoridades chegaram a conclusão de que o jovem havia sido alvo de um crime motivo pela homofobia da época: outros casos de assassinatos homofóbicos também ocorreram em Sydney, na mesma época da morte de Johnson.

Como consequência, em 2018, a família do estudante americano anunciou uma recompensa de 1 milhão de dólares por qualquer nova informação do caso, dois meses depois, a oferta dobrou para 2 milhões.

Prisão de Scott Price / Crédito: Divulgação 

 

Eventualmente, as investigações levaram à prisão de Scott Price. Na próxima quarta-feira, o acusado irá passar pelo tribunal de justiça da Austrália. Em comunicado, o policial Mick Fuller, disse que a família Johnson foi fundamental para a resolução do caso.

“Embora tenhamos um longo caminho a percorrer no processo legal, deve-se reconhecer que, se não fosse pela determinação da família de Scott Johnson, não estaríamos onde estamos hoje”, comunicou Fuller. 

A prisão de Scott Price resultou num triste levantamento de mortes de homossexuais — que aconteceram durante a década de 1980. De acordo com a pesquisa, até 80 homens foram assassinados por gangues homofóbicas naquela região.

Para Steve Johnson, a captura de Price, além de um reconforto para a família é também uma esperança para quem perdeu parentes nas mesmas circunstâncias: “Espero que a família e os amigos das outras dezenas de gays que perderam a vida encontrem consolo no que aconteceu hoje”, afirmou Steve.