Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Salem

329 anos depois, última bruxa de Salem é inocentada nos Estados Unidos

Elizabeth foi condenada no processo que julgava as bruxas de Salem, mas se livrou da pena de morte

Isabelly de Lima, sob supervisão de Thiago Lincolins Publicado em 02/08/2022, às 17h18

Imagem ilustrativa de bruxa - Getty Images
Imagem ilustrativa de bruxa - Getty Images

Elizabeth Johnson Jr. foi inocentada na última quinta-feira, 28, 329 anos depois de ser condenada por bruxaria. Durante os julgamentos das bruxas de Salem, ela teria confessado a prática da bruxaria e era, até então, a única pessoa condenada nos julgamentos que ainda não tinha sido absolvida.

A jovem tinha 22 anos quando foi acusada e é possível que tivesse uma deficiência mental, além de nunca ter se casado nem tido filhos, o que, na época, podia converter uma mulher em alvo durante os julgamentos, segundo a professora do colégio North Andover, Carrie LaPierre.

Elizabeth foi condenada num ato que foi incluído posteriormente em um orçamento estadual de US$ 53 bilhões, assinado por Charlie Baker, governador. Na época do julgamento, o governador de Massachusetts concedeu um indulto a Johnson, a livrando da pena de morte.

A mulher então morreu aos 77 anos de idade, em 1747, porém, ela morreu sem descendentes conhecidos que pudessem tentar limpar seu nome.

Projeto escolar

A absolvição da mulher foi resultado de um lobby realizado ao longo de três anos por uma professora de educação cívica e sua turma da oitava série, além de receber apoio de uma senadora estadual que a auxiliou a defender a causa, segundo informações da Folha de São Paulo.

"Foi um projeto tão importante", disse ela. "Os alunos e eu a chamamos E.J.J. Ela passou a fazer parte de nosso mundo, de certo modo”, contou a professora.

Segundo alguns historiadores, os esforços para absolver pessoas condenadas por bruxaria não incluíram a então jovem e a omissão do caso dela pode ter acontecido devido a uma confusão administrativa. A mãe de Elizabeth tinha o mesmo nome e também fora condenada no passado, mas já tinha sido absolvida.


O site Aventuras na História está no Helo! Não fique de fora e siga agora mesmo para acessar os principais assuntos do momento e reportagens especiais. Clique aqui para seguir!