Notícias » Crimes

5 anos depois, pioneiro do hip-hop nos anos 1970 é condenado por esfaquear sem-teto

Em 2017, Kidd Creole pensou John Jolly estava flertando com ele e lhe atingiu duas vezes no peito

Fabio Previdelli Publicado em 05/05/2022, às 11h57

O rapper Kidd Creole
O rapper Kidd Creole - Pixabay

Fundador do Grandmaster Flash e do Furious Five, o rapper Kidd Creole, de 62 anosm nome artístico de Nathaniel Glover, foi condenado a 16 anos de prisão nesta quinta-feira, 5. Em 2017, ele esfaqueou um homem em situação de rua até a morte em Nova York. 

Em abril, Kidd foi condenado por homicídio culposo em primeiro grau e sua pena foi estipulada hoje. Além dos 16 anos atrás das grades, Creole será supervisionado por mais cinco após ser solto. 

Segundo repercutido pelo UOL, o rapper alegou inocência durante todo o processo e seus advogados lutaram a todo instante para inocentá-lo. A alegação era que Kidd havia agido em legítima defesa. Mas a versão não foi aceita. 

O crime

Em 2017, o sem-teto John Jolly, de 55 anos, foi esfaqueado duas vezes no peito pelo rapper Kidd Creole. O fundador do Grandmaster Flash alegou que pensava que Jolly estava flertando com ele e se sentiu incomodado com a situação. 

Turistas testemunharam o estado de John logo após as agressões. Encaminhado ao hospital, o homem em situação de rua não resistiu aos ferimentos e veio a falecer pouco depois. 

Relatos apontam que após a situação, Glover fugiu da cena do crime e foi até sua gravadora. Por lá, trocou sua roupa suja de sangue e também limpou a arma usada na agressão. Na sequência ele pegou um metrô e jogou a faca em um esgoto.