Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Pesquisa

72% dos brasileiros não concordam com o porte de armas pela população, diz pesquisa

Maioria das respostas também é contra o acesso mais fácil a esses objetos; entenda!

Isabelly de Lima, sob supervisão de Fabio Previdelli Publicado em 31/05/2022, às 18h14

Imagem ilustrativa - mwewering via Pixabay
Imagem ilustrativa - mwewering via Pixabay

Nesta terça-feira, 31, foi divulgada, pelo jornal “Folha de S. Paulo”, uma pesquisa do instituto Datafolha que relata que 7 em cada 10 brasileiros discordam da ideia de que armas trazem mais segurança para a população.

72% dos entrevistados discordaram quando perguntados sobre suas opiniões acerca da seguinte afirmação: "a sociedade brasileira seria mais segura se as pessoas andassem armadas para se proteger da violência".

O percentual que mais concorda com a ideia são os entrevistados da região Norte (32%), do sexo masculino (32%) e com renda familiar de até mais de dez salários mínimos (37%). Já o percentual que discorda da afirmação tem maioria feminina (78%), pessoas autodeclaradas pretas (78%) e com menor faixa de renda — de até dois salários mínimos (75%).

Quando perguntados se é preciso facilitar o acesso de pessoas às armas, esses foram os resultados obtidos:

  • Concorda: 28%
  • Discorda: 71%
  • Não concorda nem discorda: 0%
  • Não sabe: 1%

Quem mais discorda com a ideia são as mulheres (77%), pessoas que se autodeclaram pretas (78%) e jovens de 16 a 24 anos (75%). E os que mais concordam continuam sendo homens (35%), pessoas com renda superior a dez salários mínimos (37%) e pessoas da região Norte do país (34%).

Povo discorda de Bolsonaro?

A pesquisa também fez um questionamento acerca da fala que o presidente Jair Bolsonaro (PL) já utilizou para defender o armamento da população, que seria "o povo armado jamais será escravizado". A proporção que discorda de tal fala é maior entre as pessoas que se autodeclaram pretas, pessoas que moram no Sudeste e mulheres, todos com 73%.

Já os que mais concordam são pessoas com renda superior a dez salários mínimos (41%), empresários (52%) e pessoas do Norte do Brasil (40%).

  • Concorda: 28%
  • Discorda: 69%
  • Não concorda nem discorda: 1%
  • Não sabe: 3%

A pesquisa aconteceu durante os dias 25 e 26 de maio, em 181 cidades brasileiras, com um número de 2.556 pessoas ouvidas. A margem de erro é de dois pontos para mais ou menos.