Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Brasil

79% das casas revistadas por policiais no RJ são de pessoas negras

Pesquisa mostra que pretos e pardos ainda são os principais alvos de revistas e agressões por agentes de segurança

Redação Publicado em 16/02/2022, às 12h42

Ação policial no Complexo da Maré em 2014 - Getty Images
Ação policial no Complexo da Maré em 2014 - Getty Images

Em pesquisa inédita, encomendada pelo Centro de Estudos de Segurança e Cidadania (Cesec) e feita pelo Datafolha, dados sobre ações policiais no Rio de Janeiro chamam atenção a violência seletiva a classes e etnias específicas.

De acordo com o estudo quantitativo, 79% das casas revistadas por policiais na capital fluminense pertencem a pessoas negras.

Em casos de revistas padrões realizados em rondas, popularmente conhecidos como “enquadros”, a porcentagem diminui, mas os negros continuam sendo maioria dos alvos das abordagens, representando 63% dos casos.

Tais dados foram compilados em uma atualização da pesquisa ‘Elemento Suspeito: Racismo e abordagem policial no Rio de Janeiro’, realizada pela primeira vez em 2003.

Avaliando a mudança na segurança pública nos 20 anos seguintes, algumas diferenças foram enaltecidas na pesquisa mais recente, como as ameaças nas abordagens, que em 2003 representavam 6,5% e, na nova atualização, atinge 23%, um aumento de 254% em duas décadas.

A população negra também é a que mais presencia cidadão sendo agredidos por agentes da força policial, com 70% dos entrevistados presenciando alguma cena do tipo.

Todos os dados destacam uma desproporcionalidade de tratamento com pessoas negras, principalmente quando comparados ao total da soma de pretos e pardos no Rio de Janeiro conforme estimado em Censo pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), como informa a TV Cultura.