Facebook Aventuras na HistóriaTwitter Aventuras na HistóriaInstagram Aventuras na HistóriaSpotify Aventuras na História
Notícias / Entretenimento

A confusão causada por Mick Jagger ao posar em frente a pintura 'Guernica'

Após o músico publicar uma foto com a famosa pintura de Picasso, o museu viu-se obrigado a dar explicações

Redação Publicado em 07/06/2022, às 15h02 - Atualizado em 12/06/2022, às 08h00

Mick Jagger na frente de “Guernica”, de Pablo Picasso - Divulgação/Twitter/@MickJagger
Mick Jagger na frente de “Guernica”, de Pablo Picasso - Divulgação/Twitter/@MickJagger

Mick Jagger publicou em seu perfil no Twitter uma foto em frente à famosa pintura “Guernica”, de Pablo Picasso, na última terça-feira, 31, tirada durante uma visita ao Museu Reina Sofía, em Madri, na Espanha.

O registro, porém, causou grande polêmica entre os internautas porque a instituição especifica que é proibido tirar fotografias no local, obrigando o museu a se posicionar sobre o caso por meio de um comunicado.

Em seu site oficial, o Museu Reina Sofía informa: “Não é permitido tirar fotos em toda a sala 206 (Guernica). Também não é possível que os visitantes tirem fotos profissionais e/ou privadas não relacionadas à atividade do museu ou registrem imagens”.

Nas redes sociais, muitos buscaram uma justificativa para que o músico pudesse tirar uma foto no local apesar da proibição. Alguns deles, inclusive, alfinetaram a instituição alegando que ele teve vantagem por ser quem é.

Justificativa do museu

Após a polêmica, o museu se posicionou afirmando que a regra de não tirar fotos foi estabelecida a fim de melhorar o conforto dos visitantes, e não para proteger a obra, já que ela não sofre com o efeito das fotos — visto que a maioria vem de celulares sem flash.

“É uma questão de qualidade da visita, porque as pessoas ficavam 15 minutos tirando fotos ou batiam em outras com o pau de selfie”, informou o museu.

Eles alegaram ainda que não é uma questão de direitos autorais, como o quadro é um dos mais reproduzidos do mundo, e que não persegue "todos os que querem tirar uma foto", o que significa que existem visitantes comuns que têm fotos com a obra.

"Tentamos não dar muita importância", explicaram os porta-vozes da instituição à Europa Press, que acrescentaram que Jagger veio ao museu com sua comitiva em um dia fechado ao público, onde estiveram na companhia do diretor, Manuel Borja-Villel, segundo o jornal O Globo.