Notícias » Brasil

Abandonada em buraco, mulher teria sido agredida por engano

Segundo a Polícia Civil de Londrina, a vítima foi confundida com outra pessoa e acabou presa em um buraco por 12 horas

Pamela Malva Publicado em 11/08/2021, às 16h00

Fotografia da mulher sendo retirada do buraco
Fotografia da mulher sendo retirada do buraco - Divulgação/ Guarda Municipal

No dia 15 de julho, oficias de Londrina, no Paraná, encontraram uma mulher presa em buraco de três metros de profundidade. Nesta quarta-feira, 11, a Polícia Civil cumpriu mandados de prisão contra cinco pessoas suspeitas de terem abandonado a vítima.

Logo depois de ser identificada, a mulher recebeu os primeiros socorros das autoridades e, aos oficiais, disse que teria ficado presa por cerca de 12 horas, segundo o G1. Além das detenções, a polícia ainda cumpriu quatro mandados de busca e apreensão.

O problema é que, ainda de acordo com as autoridades, a mulher foi agredida por engano. Nesse sentido, as investigações sugerem que os suspeitos, que estariam envolvidos com tráfico de drogas, queriam cobrar uma dívida de outra pessoa.

Fotografia do buraco onde a mulher foi encontrada / Crédito: Divulgação/ Guarda Municipal

 

Logo depois das agressões, contudo, ao perceberem que teriam se equivocado com a identidade da vítima, os responsáveis decidiram abandoná-la no buraco, pensando que ela estivesse morta. Ainda mais, três dos quatro mandados de busca da Polícia Civil são em endereços de residências teoricamente ligadas ao chefe do tráfico da região.

Uma vez resgatada, a vítima revelou aos oficiais que é usuária de drogas e que apenas caminhava pelas ruas naquela madrugada do dia em que foi agredida. Segundo informações da Guarda Municipal, a mulher foi ferida na cabeça, rosto, pernas e barriga, além de estar com suas duas mãos quebradas.