Notícias » Música

“Acho que o punk rock inventou a cultura do cancelamento”, diz vocalista do Green Day

Em programa, Billie Joe Armstrong faz reflexões sobre o movimento punk rock e diz como o sucesso impactou sua vida. "É como se fôssemos proscritos, éramos criminosos”

Fabio Previdelli Publicado em 28/04/2021, às 12h15

Billie Joe Armstrong, vocalista do Green Day
Billie Joe Armstrong, vocalista do Green Day - Wikimedia Commons

Vocalista do Green Day, Billie Joe Armstrong é o convidado do novo episódio do programa “Words + Musica”, da Audible Original, da Amazon, chamado “Billie Joe Armstrong: Welcome to My Panic”, que estreia hoje, 28, nos Estados Unidos.  

Nele, conforme informações adiantas que foram divulgadas pela People, Billie faz reflexões sobre sua carreira e vida pessoal, além de comentar sobre o movimento do punk rock — gênero onde o Green Day está inserido — e das mudanças que a música acarretou em sua vida.  

"Acho que o punk rock inventou a cultura do cancelamento", diz Armstrong com uma risada. "É como se fôssemos proscritos, éramos criminosos" por conta da atitude que tinham.  

Além disso, ele continua: "Você poderia me chamar de idiota, poderia me chamar de estúpido, poderia me chamar de filho da mãe, pode me chamar de todas essas coisas, mas a pior coisa que você poderia chamar de alguém naquela época era de rockstar, tipo o Bon Jovi ou algo do tipo".  

"É tipo, sem ofensa para ele, mas era uma espécie de antítese de onde viemos", explica o artista na conversa. "Então, para nós, foi devastador. É devastador”, completa o líder do Green Day.  

O músico também comentou sobre o sucesso da banda e de como afetou isso dentro de seu círculo social. "Nós pegamos pessoas que queriam lutar contra nós. [Estávamos] literalmente brigando com outras pessoas e sendo banidas de certos clubes. Meio que me sentindo um pária ou algo assim, dentro de nosso próprio grupo social." 

Armstrong revela que tudo isso foi muito traumático para ele. “Sou uma pessoa muito sensível quando se trata de meus relacionamentos com as pessoas e algumas delas, provavelmente inventei na minha cabeça ou o que quer que seja, mas era muito escuro viver perto da Bay Area [na Califórnia] naquela época”.