Notícias » Mundo

Acusado de financiar genocídio em Ruanda pode ser extraditado

Félicien Kabuga, que já foi considerado um dos homens mais ricos do país, está sendo julgado por sua suposta participação no massacre que matou 800 mil pessoas

Isabela Barreiros Publicado em 01/10/2020, às 13h41

Felicien Kabuga, suspeito de causar um genocídio em Ruanda
Felicien Kabuga, suspeito de causar um genocídio em Ruanda - Divulgação

Segundo informações da BBC, o principal acusado do financiamento do genocídio em Ruanda, Félicien Kabuga, deverá ser extraditado da França para a Tanzânia, onde será julgado. O homem de 85 anos vivia em Paris e foi preso em maio deste ano na cidade, quando foi encontrado depois de 26 anos foragido.

O tribunal concordou com a extradição de Kabuga depois de confirmar uma decisão em junho que dizia que a saúde do indivíduo não era “incompatível” com sua transferência. Os advogados do acusado afirmaram anteriormente que ele não poderia passar por esse procedimento devido à sua saúde, argumento rejeitado pelo juiz.

Kabuga é acusado de ter financiado o genocídio que aconteceu em Ruanda e causou a morte de 800 mil pessoas em 1994. A suspeita é que ele tenha dado dinheiro para grupos de milícia em seu cargo como presidente do fundo de defesa nacional. Ele já foi considerado um dos homens mais ricos do país.

Em 1997, ele foi formalmente acusado pela primeira vez no Tribunal Criminal Internacional para Ruanda (ICTR), sob sete acusações. Entre elas estavam genocídio e crime contra humanidade, as quais o homem descreve como “mentiras”. 

Para escapar por tanto tempo do julgamento, o tribunal concluiu que ele usou 28 nomes falsos durante esses anos. Os Estados Unidos já colocaram uma recompensa de US $ 5 milhões em informações que pudessem ajudar no seu encarceramento.