Notícias » Estados Unidos

Acusado de matar duas pessoas em protesto antirracista paga US $ 2 milhões de fiança

Aos 17 anos, Kyle Rittenhouse é suspeito de perseguir ativistas durante manifestação contra a morte de Jacob Blake, em agosto

Pamela Malva Publicado em 21/11/2020, às 09h30 - Atualizado às 09h47

Imagem meramente ilustrativa de protesto nos Estados Unidos
Imagem meramente ilustrativa de protesto nos Estados Unidos - Divulgação/Pixabay

Em agosto deste ano, Kyle Rittenhouse, de 17 anos, foi acusado de atirar em três pessoas durante um protesto contra o assassinato de Jacob Blake, em Wisconsin. Na sexta-feira, 20, o jovem foi liberado da custódia após pagar uma fiança milionária.

Segundo informações da polícia, divulgadas pela BBC, Kyle matou duas pessoas e feriu uma terceira durante a manifestação. Ainda assim, ele pagou cerca de US $ 2 milhões às autoridades e pôde voltar para casa. Grande parte do dinheiro, descobriu-se mais tarde, foi arrecadada através de doações feitas pela internet.

O valor da fiança, de acordo com Loren Keating, comissária da prisão e tribunal do condado de Kenosha, tinha de ser absurdo. Isso porque o jovem, que poderia ser condenado à prisão perpétua, foi considerado como um preso em alto risco de fuga. Agora, depois da fiança, o jovem deve retornar aos tribunais no dia 3 de dezembro.

Imagem de Kyle Rittenhouse com rifle durante o protesto / Crédito: Divulgação/Youtube

 

Em entrevista ao Washington Post publicada na quinta-feira, o acusado afirmou ter comprado a arma do crime com a bolsa de assistência àqueles que ficaram desempregados durante o surto do coronavírus. “Recebi o primeiro cheque desemprego, então pensei, 'Oh, vou usar isso para comprá-lo'”, narrou Kyle.

No final, o garoto matou Joseph Rosenbaum, de 36 anos, e Anthony Huber, de 26. Além disso, ele ainda tentou assassinar Gaige Grosskreutz, também de 26. Para Mark Richards, o advogado do acusado, no entanto, existem provas "avassaladoras" de que Kyle estava agindo em legítima defesa.